Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019
Manaus

Câmara realiza audiência para discutir causas de rompimentos de adutoras em Manaus

No choque entre as concessionárias Manaus Ambiental e a Eletrobras Amazonas Energia, sobre questões referentes ao abastecimento de água na capital e o rompimento recente de adutoras, sobrou também para a prefeitura



1.jpg Robô alugado pela Manaus Ambiental inspecionou ontem a adutora da rua das Flores e não encontrou qualquer problema ou falhas na estrutura da mesma
05/04/2013 às 08:48

Após afirmar que o rompimento de uma adutora na rua das Flores, bairro Compensa, Zona Oeste, era decorrente de  quedas de energia, a Manaus Ambiental transferiu, nesta quinta-feira (04), a culpa para um possível serviço de asfaltamento realizado pela prefeitura no local.

Em audiência pública ocorrida na manhã desta quinta-feira, na Câmara Municipal de Manaus, para discutir questões referentes ao abastecimento de água na capital e o rompimento recente de adutoras, o diretor-técnico da Manaus Ambiental, Arlindo Sales, disse para os vereadores que a adutora da rua das Flores foi afetada possivelmente por uma retro-escavadeira, o que diminuiu a vida útil da tubulação, que é de até 60 anos, para apenas cinco anos.



Sales disse que a concessionária de água trouxe especialistas de fora, incluindo fabricantes da adutora, para avaliá-la. “Verificou-se que em cima do tubo havia um afundamento provocado por uma retro-escavadeira”, afirmou o diretor-técnico da Manaus Ambiental.

O rompimento da adutora de 800 milímetros na rua das Flores ocorreu no dia 15 de janeiro. Casas e carros foram atingidos pela força da água. Três veículos foram arrastados ladeira abaixo. Aproximadamente 100 famílias tiveram prejuízos, sendo que trinta delas precisaram ser retiradas do local e realocadas em hotéis custeados pela concessionária de água.

Durante uma breve apresentação sobre os investimentos da Manaus Ambiental na cidade e sobre os rompimentos das adutoras ocorridas nos últimos meses, Arlindo Sales disse que a sugestão da concessionária de água é que o Município de Manaus crie um Conselho de Infraestrutura Urbana que envolva todos os “atores” que mexem na infraestrutra urbana da cidade.

“Isso é muito importante para que, nós que estamos numa cidade de quase 2 milhões de habitantes, tenhamos um disciplinamento urbano com relação às intervenções na infraestrutura dessa cidade”, falou Arlindo Sales. Segundo ele, especialistas que avaliaram a área onde a adutora da rua das Flores rompeu constataram uma intervenção com asfalto novo, recentemente colocado, mas preferiu não fazer referência à prefeitura. Porém, os serviços de asfaltamento na cidade são realizados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf).

“Isso aconteceu com a tubulação de água, mas pode vir acontecer com a de gás, com riscos muito maiores à população de Manaus”, finalizou Sales.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.