Publicidade
Manaus
CAMELÔS

Camelôs que ainda estão nas ruas do Centro devem deixar o local ainda este ano

De acordo com a Prefeitura, eles ainda não foram realocados porque aguardam a liberação dos espaços nos camelódromos Floriano Peixoto 1 e Epaminondas, o que só deve acontecer com a inauguração do Shopping T4 28/03/2016 às 20:36
Show camel
Barracas de camelôs ainda ocupam calçadas de ruas do Centro de Manaus (Márcio Silva)
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Os camelôs que ainda não foram realocados das ruas do Centro - da área da antiga Zona Franca -, devem ser retirados a partir do segundo semestre deste ano. De acordo com a Prefeitura de Manaus, eles ainda não foram realocados porque aguardam a liberação dos espaços nos camelódromos Floriano Peixoto 1 e Epaminondas, o que só deve acontecer com a inauguração do Shopping T4, na Zona Leste.

A previsão de entrega do Shopping T4, que vai abrigar mais de 720 empreendedores, entre lojas e lanches, é junho deste ano, conforme a prefeitura. Já as segunda e terceira etapas da Galeria dos Remédios, no Centro, só serão entregues no segundo semestre.

Dos 2.082 camelôs cadastrados, identificados em censo realizado pela prefeitura, em 2009 e confirmado em 2013, foram realocados 1.502, restando ainda 580 trabalhadores cadastrados a serem retirados das ruas.


A camelô Ester Cardoso, 36, é umas das que aguarda a retirada de sua banca da rua Quintino Bocaiúva. Ela contou que espera ansiosa, mas destacou que até agora não foi informada sobre onde será realocada. “Ninguém falou nada ainda e nós vivemos na expectativa porque não sabemos quando vão nos tirar e nem para onde vamos. Nosso medo é que nos coloque no lugar que não seja bom para as vendas”, disse.

Ao contrário de Ester, o camelô José Nilton, 51, está há quase dois anos realocado no camelódromo Floriano Peixoto 1, e sabe para onde será transferido. Só aguarda o fim das obras e a entrega do novo espaço. “Todos os que estão aqui vão para o Shopping T4 assim que for inaugurado. A informação que temos é que isso vai ocorrer em maio ou junho”, afirmou.

Os camelôs que aceitam sair das ruas do Centro podem continuar atuando nos camelódromos provisórios ou entregam suas bancas e optam por aguardar em casa, recebendo os benefícios concedidos pelo projeto Viva Centro Galerias Populares (R$ 1 mil mensais + 1 cesta básica).
 

Publicidade
Publicidade