Publicidade
Manaus
LUTA

Caminhada reúne mais de 500 estudantes contra o abuso sexual infantojuvenil

Durante a caminhada, a população recebeu folhetos com os canais de denúncia e da rede de proteção dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Conselhos Tutelares 18/05/2018 às 19:08
Show caminhada
Foto: Altemar Alcântara / Semcom
acritica.com Manaus (AM)

Com faixas e cartazes, estudantes, professores e servidores da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) e Fundo Manaus Solidária participaram, na manhã desta sexta-feira (18), de uma caminhada na área da Bola do Produtor, zona Leste, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O evento faz parte da campanha iniciada no Carnaval de 2018, organizada pela Semmasdh, por determinação do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, e da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro

A caminhada procurou enfatizar a importância de se trabalhar a prevenção contra estes tipos de crimes.

“A Semmasdh está fazendo essa caminhada para despertar na população manauara o desejo de se engajar nessa luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Não poderíamos deixar essa data passar em branco, pois precisamos orientar essas crianças e adolescentes sobre esse assunto tão delicado”, explicou o secretário da Semmasdh, Dante Souza.

A vice-presidente do Fundo Manaus Solidária, Mônica Santaella, destacou a importância da conscientização dos estudantes e da sociedade nessa luta. “Eles são os protagonistas dessa história. São essas crianças e adolescentes que precisam saber que possuem direitos. É preciso chamar a atenção da sociedade, para que abram os olhos e, principalmente, a boca, para que em qualquer sinal de violência ou abuso, denunciem”, ressaltou.

Para a pedagoga da Escola Municipal Magalhães Cordeiro, Franciane Silva, falar sobre esse assunto com os estudantes é fundamental. “A mobilização a partir desse tema faz com que as crianças aprendam que podem falar sobre isso. E assim, elas sentem mais confiança na escola e nos pais, facilitando nosso trabalho de prevenção e combate”, declarou.

Durante a caminhada, a população recebeu material informativo sobre a violação de direitos referente ao enfrentamento da exploração sexual infantojuvenil, os canais de denúncia e da rede de proteção dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Conselhos Tutelares.

A Seja Digital também marcou presença no evento para divulgar que faltam apenas 12 dias para o sinal analógico de TV ser desligado. Quem quiser saber se tem direito ao kit, deve ligar gratuitamente para o número 147 ou acessar o portal sejadigital.com.br com o Número de Identificação Social (NIS) em mãos.

Acompanhamento

Nos cinco Centros de Referências Especializados de Assistência Social (Creas), da Semmasdh, foram acompanhados em 2017 o quantitativo de 1.499 casos de abuso e 230 de exploração sexual. Enquanto que, de janeiro a abril deste ano, foram registrados 83 casos de abusos e quatro de exploração sexual que estão em acompanhamento.

Canais de Denúncia

Em 2017, foram registradas 42 denúncias de abuso sexual e sete de exploração infantojuvenil pelo disque-denúncia municipal. De janeiro a abril deste ano, já foram registradas 23 denúncias de aliciamento e estupro de vulnerável, abuso e exploração sexual. 

A rede de proteção possui três canais de comunicação para quem sofrer ou conhecer qualquer situação de violação de direitos:

– Disque Direitos Humanos: 0800-092-6644

– Disque Denúncia: 0900-092-1407

– Disque Direitos Humanos Nacional: 100

Publicidade
Publicidade