Publicidade
Manaus
Saúde

Campanha contra Hepatites Virais começa quinta em Manaus e sexta no interior

Em Manaus, a 1ª etapa da campanha terá como foco as comunidades ribeirinhas às margens do Rio Negro. No interior, as ações acontecerão até o dia 29 em todos os 62 municípios 05/07/2016 às 20:33 - Atualizado em 06/07/2016 às 16:49
Show agencia brasil251112mcsp8
As secretarias municipais de Saúde vão coordenar os trabalhos (Foto: Marcelo Camargo/ABr)
acritica.com Manaus (AM)

A Campanha de Combate às Hepatites Virais começa nesta quinta (7) em Manaus e inicia sexta (8) nos municípios do interior do Estado. A ação é alusiva ao Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais (28 de julho). Na capital a campanha é coordenada pela Prefeitura de Manaus, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e no Estado o Governo do Amazonas, através a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), promove a ação junto com os municípios e entidades parceiras.

Em Manaus, a primeira etapa da campanha tem como foco principal os moradores das comunidades ribeirinhas localizadas às margens do Rio Negro. A segunda etapa, voltada para as outras regiões da capital, está prevista para o período de 25 a 31 deste mês, com a oferta de testes e informações sobre a doença para a população em geral e, em especial para salões de beleza e estúdios de tatuagem.

A etapa rural da campanha municipal será coordenada pela Divisão de Vigilância em Saúde do Distrito de Saúde Rural (Disa Rural) e as atividades, que incluem palestras, teste rápido para hepatites B e C e vacinação contra Hepatite B, serão realizadas com o suporte da Unidade Móvel Fluvial. A Semsa também irá oferecer durante a campanha o teste rápido para HIV. Dez profissionais de saúde estarão envolvidos na atividade.

No interior

No interior, a campanha é promovida pela Coordenação Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, vinculada à Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), com o tema “Liberdade é se cuidar. Que tal testar?”. As ações vão acontecer até o dia 29 em todos os 62 municípios, onde as secretarias municipais vão ofertar testes rápidos, palestras, distribuir preservativos masculinos e folders informativos.

Pelo Governo do Amazonas, serão ofertados 41.800 testes rápidos para Hepatite B e 41.800 para o tipo C, nos serviços de saúde e nas instituições parceiras, na capital e no interior. Os kits, recebidos do Ministério da Saúde, já foram encaminhados aos municípios, assim como 600 mil preservativos masculinos e mais de 200 mil folders sobre a doença.

A doença

As hepatites virais são doenças silenciosas, o que podem levar o paciente a descobrir a infecção em estágio já avançado. Por não apresentam sintomas iniciais, as hepatites B e C normalmente não são percebidas, a não ser que mediante testes de diagnóstico. Por isso, muitos não sabem que são portadores do vírus, permitindo que a doença evolua para a forma crônica, causando problemas graves no fígado como cirrose e câncer.

Os vírus B e C da hepatite podem ser transmitidos por relação sexual sem uso de preservativo, pelo compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam. Os vírus também podem ser transmitidos da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Mais comuns

De acordo com o Ministério da Saúde, os tipos mais comuns de hepatite no Brasil são as causadas pelos vírus A, B e C, mas ocorrem, de forma menos frequente os tipos D e E. Diferentemente das hepatites B, C e D, transmitidos por via sexual, por sangue contaminado ou de mãe para filho, os tipos A e E têm como principal via de transmissão o contágio oral-fecal, ou seja, por condições precárias de saneamento e pelo contato com água e alimentos contaminados.

As medidas de prevenção contra as hepatites B e C incluem usar preservativo em todas as relações sexuais, exigir materiais esterilizados ou descartáveis em estúdios de tatuagem e de piercings, não compartilhar instrumentos de manicure e pedicure, não usar lâminas de barbear ou de depilar de outras pessoas, e não compartilhar agulhas, seringas e equipamentos para drogas inaladas e pipadas, como o crack.

No Amazonas, entre os anos de 2001 e 2015, foram registrados 14.338 casos de Hepatites Virais. As maiores incidências foram nos municípios de Manaus, Eirunepé, Lábrea, Coari, Boca do Acre, Tefé, Manacapuru, Fonte Boa e Atalaia do Norte.

Dia Mundial

A escolha do mês de julho para a realização da campanha se deve à comemoração do Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais em 28 de julho. A data foi instituída por iniciativa brasileira e oficializada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), durante Assembleia Mundial da Saúde realizada em maio de 2010.

Desde então, o Ministério da Saúde, por meio do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde, vem cumprindo uma série de metas e ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das hepatites virais no Brasil.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade