Quarta-feira, 24 de Abril de 2019
publicidade
f81789b0-155f-4d0b-b31d-4c2e69659359_EF99A7FA-2903-4766-A531-E3B14EA13232.jpg
publicidade
publicidade

VACINAÇÃO

Campanha de vacinação contra H1N1 terá esquema especial de segurança no Amazonas

Unidades de saúde espalhadas pela capital e interior receberão equipes da Secretaria de Segurança Pública. O objetivo é evitar tumultos nos locais de vacinação


18/03/2019 às 12:48

A campanha de vacinação contra o vírus da Influenza A H1N1, que inicia na próxima quarta-feira (20) em todo o Amazonas, contará com um esquema de segurança nas unidades de saúde do Estado. As ações serão coordenadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

“A Polícia Militar vai estar apoiando em todos os locais de vacinação, tanto na capital quanto no interior. Estaremos usufruindo da estrutura do CICC para qualquer situação em que exija um esforço maior. Nós acreditamos que com a ação preventiva em todos os locais de vacinação evitaremos tumultos”, explicou chefe da Seção de Operações do Estado, tenente-coronel Dias Figueiredo. “Estamos cientes dos dez locais de unidades básicas de horário estendido. Nós vamos ter um cuidado especial reforçando o efetivo”, ressaltou ainda.

publicidade

A campanha, que é destinada somente a grupos prioritários, ocupará 1.535 salas de vacinação em todo o Estado, localizadas em Unidades Básicas de Saúde da capital e do interior. Além das unidades municipais, os Centros de Atenção Integral à Criança (Caic) e de Atenção Integral ao Idoso (Caimi) também estarão vacinando os púbicos específicos. As pessoas devem procurar a unidade mais próxima de casa.

Segundo a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, a campanha contará com 400 mil profissionais. “Temos uma mobilização de mais de 400 mil profissionais da saúde que participarão dessa campanha. Nesse momento estamos contando com o apoio e a estrutura conferida aqui no CICC para que nós possamos ter uma campanha organizada e segura. É fundamental esse apoio no sentido de que principalmente as unidades básicas que porventura tenham risco de turbulências seja garantida a segurança tanto dos usuários quanto dos profissionais”, disse.

Fazem parte dos grupos prioritários crianças de 6 meses e menores de 6 anos; idosos acima de 60 anos; doentes crônicos independente de faixa etária (hipertensos, diabéticos, imunodeprimidos, transplantados, pessoas com câncer); grávidas; puérperas até 45 dias após o parto; trabalhadores da saúde; profissionais da educação; indígenas; pessoas privadas de liberdade; e profissionais do sistema prisional.

publicidade
publicidade
Crianças vacinadas contra H1N1 no Amazonas precisam tomar a 2ª dose
Vacinar os bebês ajuda a proteger toda a família, explicam especialistas
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.