Publicidade
Manaus
QUESTÃO DE SEGURANÇA

Campanha do Ifam pede desativação "imediata e irrevogável" da Vidal Pessoa

O ofício da campanha “Volta às Aulas Sem Medo # Eu apoio” será encaminhado ao governador e à SSP-AM. No último dia 8, quatro detentos foram mortos durante um tumulto no local 14/01/2017 às 17:56 - Atualizado em 14/01/2017 às 17:59
Show vidal
A Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa foi reativada no último dia 2 para receber presos ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC). Foto: Clóvis Miranda
Rafael Seixas Manaus (AM)

A reativação no último dia 2 de janeiro da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, localizada na Avenida Sete de Setembro, no Centro de Manaus, está preocupando o gestor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam) devido o presídio ficar a poucos metros da instituição, que inicia o seu ano letivo no dia 2 de fevereiro. Por conta disso, o Ifam está à frente da campanha “Volta às Aulas Sem Medo # Eu apoio”, que faz um apelo às autoridades e pede a desativação imediata e irrevogável da Vidal Pessoa.

De acordo com o diretor-substituto do Ifam unidade Centro, Antônio Ferreira Santana Filho, a permanência da Vidal Pessoa oferece riscos para todos os estudantes das imediações. “Os alunos do Ensino Médio voltam às aulas no dia 2 de fevereiro e o pessoal da faculdade e dos cursos técnicos no dia 6. Nesse período, há uma circulação diária de 3 mil alunos somente do Ifam”, explicou o educador, acrescentando que na proximidade da Vidal Pessoa funcionam ao menos 12 escolas.

“A sensação de medo é constante porque se houver alguma rebelião ou fuga, o Ifam é vizinho da Vidal Pessoa e fica difícil até para os alunos saírem da escola. É uma situação bastante delicada”, acrescentou. No último dia 8, quatro detentos foram mortos durante um tumulto na Vidal Pessoa. Três foram decapitados e um morreu por asfixia.

“Além da proximidade, o que nos preocupa é que nós sabemos que ela está sem nenhuma estrutura para acondicionar esses detentos. Sabemos que se transformaria em um museu após a desativação [em outubro], então as obras para torná-la um ambiente de segurança foram paradas. É como se fosse um grande salão onde estão colocando os presos”, relatou o diretor.

“A preocupação sempre existiu, mas quando estava funcionando, até outubro, não havia esse indício de rebelião. [...] Agora com essa grande onda de situações, que é uma questão nacional, não temos o mínimo de conforto e segurança em relação à proximidade ao presídio”, acrescentou.


Gráfico feito pelo Ifam com as escolas próximas da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa

Todas as informações da campanha “Volta às Aulas Sem Medo # Eu apoio” estão disponíveis na página do Ifam Centro, intitulada “Ifamnaticoscmc”, no Facebook.

“Estamos organizando um ofício para ser encaminhado ao governador e à Secretaria de Segurança Pública do Amazonas [SSP-AM]. O que a gente pede da população é que valorizem a Educação, que os alunos possam ir e voltar das escolas com segurança. Por isso, nos precisamos sensibilizar as autoridades para a nossa causa. A gente pede que a população entre no Facebook e deixem no comentário a sua indignação para mostrarmos ao governador. Seria interessante que outras instituições que ficam próximas da Vidal encaminhassem ofícios ao governador e à SSP, porque a união faz a força”, finalizou.

À reportagem, o tenente-coronel Cleitman Coelho, que assumiu a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) após a exoneração do policial federal Pedro Florêncio, disse que a cadeia no Centro de Manaus será desativada em breve. “Acredito que no mês de abril, no máximo, com a entrega do novo presídio pelo governo do Estado”, adiantou, complementando ainda que a Vidal Pessoa só foi reativada por conta das mortes no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), nos dias 1° e 2 de janeiro.

“O fato de termos que separar presos de facções rivais nos obrigou a voltar a utilizar o espaço para preservarmos vidas”, finalizou.

 

Publicidade
Publicidade