Quinta-feira, 23 de Maio de 2019
Manaus

Canoeiros temem que as hélices das embarcações engatem em fiação elétrica clandestina no rio

O perigo foi denunciado pelos trabalhadores da Marina do Davi, na Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus



1.jpg
Um canodeiro da Associação de Canoeiros da Marina do Davi de Fátima (Acandaf) sofreu uma descarga elétrica no último final de semana quando foi retirar restos de entulhos e fio elétrico engatados na hélice da embarcação
04/01/2016 às 17:58

Canoeiros da Marina do Davi, na Ponta Negra, Zona Oeste, denunciam a falta de consenso dos moradores da redondeza que persistem em manter ligações de energia elétrica de forma clandestina. No último final de semana, um canoeiro chegou a levar uma descarga de alta tensão e teve uma parada cardíaca.

O fato ocorreu no último final de semana, quando o canoeiro da Associação dos Canoeiros da Marina do Davi de Fátima (Acamdaf) Nilson de Souza Brito, 21, estava tentando calhar na orla, mas a canoa ficou presa em entulhos de sucatas. O canoeiro precisou entrar na água para tentar soltar a embarcação.

O canoeiro Milton Maurício de Brito, 40, irmão de Nilson, disse que no momento em que o irmão tocou nos estulhos recebeu a descarga elétrica. “A sorte que havia outro canoeiro mais próximo do meu irmão e tentou de todas as formas retirá-lo da água. Ele até comentou que sentia um pouco do choque”, detalhou.

Nilson foi socorrido e levado para o Hodspital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, no Adrianópolis, Zona Centro-Sul. “Quando chegamos ao hospital, meu irmão teve uma parada cardíaca, foi o momento mais tenso, pois pensávamos que ele não iria resistir”, comentou.

Depois de dois dias de internação, o canoeiro recebeu alta na manhã de ontem, mas será necessário depois de 10 dias realizar checape para ver se não houve sequelas do acidente. Por enquanto, o canoeiro precisará ficar em repouso.

De acordo com o irmão do acidentado, a situação no local é preocupante. “Por causa das sucatas, o fio da ligação clandestina passa por dentro do rio e com o excesso de sucata e o atrito, o fio descapelou. O problema é se a sucata engatar em uma canoa de alumínio e se tiver com passageiro é de certeza que eles também receberão a descarga elétrica”, contou.

Levantamento técnico

O comandante da Acamdaf, Raimundo Andrade, disse que desde que iniciaram este tipo de ligação, eles tentam entrar em contato com os proprietários das residências para buscar uma solução com medo de ocorrer qualquer tipo de acidente.

A Eletrobras Distribuição Amazonas informou que até a próxima quinta-feira será concluído o levantamento técnico da área e assim irá realizas as devidas regularizações e o desligamento das ligações clandestinas no local citado na matéria.

No Brasil

Em São Gonçalo (RJ) quatro pessoas de uma mesma família morreram eletrecutado na noite do último domingo no momento em que entravam no carro, quando um cabo de energia de alta tensão se rompeu e atingiu o veículo. Com a descarga elétrica, Adão Orlando Silva Moraes, 87, Rafael Sérgio Alcântara Oliveira, 55, Lucas Alcântara Oliveira, 13, e um bebê de 9 meses morreram na hora.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.