Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
SOLUÇÃO

Moradores de conjunto da Zona Norte de Manaus criam barreira contra roubos

A barreira, que é feita de madeira, foi colocada há três meses, quando os assaltos começaram a ficar mais frequentes na rua 3, do conjunto Galileia, bairro Cidade Nova



share_big_show_roubo_E8A00628-FD42-44A3-8145-50F40C114E01.JPG Barreira na rua 3, no conjunto Galileia, bairro Cidade Nova. Foto: Jander Robson
04/01/2018 às 22:22

Cansados de assaltos sofridos a mão armada, moradores da rua 3, no conjunto Galileia, bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, resolveram por conta própria montar uma barreira personalizada para tentar diminuir a ação dos criminosos. De madeira, a “Barreira contra roubo” foi colocada há três meses, quando os assaltos começaram a ficar mais frequentes na região, segundo informou o universitário Amauri Matos Costa.

De acordo com ele, antes da barreira, os criminosos, principalmente em motocicletas, costumavam frequentar a rua e praticar assaltos contra pessoas que saíam ou chegavam do trabalho. “As vítimas principalmente são mulheres”, ressaltou o estudante.

Ele contou ainda que sua vizinha, cujo nome foi mantido em sigilo, se mudou por conta da falta de segurança na rua e também no conjunto. “Ela me disse que como só morava ela e a filha e o conjunto não tinha segurança, ela preferiu se mudar e foi embora”, concluiu.

O mototaxista Marcelo Maia, 29, também morador, relatou que sofreu assalto na rua junto com amigos, mas felizmente conseguiu deter os criminosos e entregá-los para a polícia. “Aqui é roubo de dia, tarde e de noite, nos horários em que a rua fica deserta e um dia quando eu e uns amigos fomos atacados, conseguimos segurar o bandido”, relembrou.

O autônomo Paulo Silva, 47,  contou que a barreira foi necessária para coibir os roubos. “Foi bom colocar a barreira, com a criação da estação da linha 500 que fica aqui ao lado, os bandidos estacionavam carros aqui na rua, faziam arrastões na estação e voltavam para pegar os carros. Agora com a barreira, eles não fazem mais isso, sem contar os motoqueiros que passam e assaltavam”, explicou.

O mototaxista Marcelo Maia informou que os moradores da rua possuem um grupo de WhatssApp também para ajudar na prevenção de roubos. “Nós (moradores) nos comunicamos no grupo, dizemos se há alguém suspeito na área e assim vamos nos mobilizando”, explicou. A Polícia Militar foi procurada, mas até o momento não se posicionou a respeito da situação dos moradores da rua 3.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.