Publicidade
Manaus
Manaus

Cão labrador é treinado para ajudar bombeiros na missão de salvar vidas

O cão da raça Labrador Retriever foi adquirido pelo Corpo de Bombeiros e passou a integrar a corporação, que pela primeira vez trabalha com os animais 15/11/2014 às 14:42
Show 1
O labrador está sendo treinado por bombeiros militares já capacitados em curso
Perla Soares ---

“Um ‘Hope’ para quem estiver em perigo”. Essa é a “frase de guerra” dos soldados do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBM-AM), uma referência ao primeiro cão salva-vidas do Estado, batizado de “Hope”, palavra em inglês que significa “Esperança”. O cão, da raça Labrador Retriever, foi adquirido pelo Corpo de Bombeiros e passou a integrar a corporação, que pela primeira vez trabalha com cães nas ações de resgate na capital.

Segundo comandante-geral do CBM-AM, Roberto Rocha, o cão salva-vidas veio da cidade de Xinxim, em Santa Catarina, onde os soldados Danillo Barros, 32, e Jorge Ferraz, 22 participaram, no mês de outubro, de um curso  de busca, resgate e salvamento em áreas colapsadas, que são  áreas de risco. 

Hope  foi trazido para o Amazonas para fazer parte de uma equipe treinada para atuar em ações de busca e resgate de vítimas em escombros, soterramentos, deslizamentos, afogamentos e até mesmo para ajudar na localização de pessoas perdidas em áreas de selva. “O benefício de ter um cão farejador como parte da equipe é que o animal tem o olfato aguçado e preciso, bem superior ao do homem, e pode solucionar casos com mais rapidez”, enfatizou o comandante Roberto Rocha.

Ainda segundo Roberto Rocha, a  capacidade de atuação de um cão farejador na localização de vítimas equivale a 20 homens desempenhando o mesmo papel. Odores que passam despercebidos pelas pessoas são rapidamente captados pelo animal, que muitas vezes acabam direcionando as ações de salvamento.

Treinamento

O labrador Hope tem três anos e está sendo treinado por três bombeiros militares já capacitados no Curso de Busca, Resgate e Salvamento com Cães. Neste primeiro momento, o animal passa pela adaptação climática, já que veio de Santa Catarina, após três meses, depois de técnicas específicas que desenvolvam a sensibilidade olfativa, ficará apto ao trabalho de campo.

“Nós estamos treinando de duas a três horas diariamente com o Hope, até que ele fique pronto para as atividades de bombeiro. A atuação principal dele será em ocorrências de localização de vítimas de escombros,  soterramento e salvamento em águas abertas, já que a raça, conhecida como ‘cão d’água’, tem aptidão para nadar”, finalizou o treinador, soldado Sidney Lomas.

Parceria

Se o Corpo de Bombeiros ganhou um reforço nas ações de busca e salvamento, a família do soldado Jorge Ferraz, 22, ganhou um novo integrante. Hope está morando com o soldado e já conquistou toda a família dele, que tem outros dois animais em casa. A adaptação com os novos companheiros foi amigável, contou Jorge. “Meus pais estão apaixonados por   ele. É um cão obediente, sociável e, lá em casa, é muito paparicado. Entre nós existe uma relação de confiança, parceria e companheirismo”.

Publicidade
Publicidade