Quinta-feira, 29 de Outubro de 2020
Aposentadoria

Cão policial Vênus vai para reserva e troca o colete por lacinhos

Cadelinha Vênus ‘pendurou o colete’ e vai aproveitar a aposentadoria após anos de trabalho árduo na Cipcães



122056101_10224306011262447_8055873931656878332_o_8B717205-5577-4C75-950E-E9FA2DB6468D.jpg Foto: Divulgação
18/10/2020 às 14:55

Ela traz no currículo operações importantes como apreensão de mais de sete toneladas de drogas e a localização de 800 quilos de drogas enterradas em uma praia. Mas, com seis anos de idade, a veterana cadelinha Vênus ‘pendurou o colete’ e vai aproveitar os anos de aposentadoria, após anos de trabalho árduo na Companhia Independente de Policiamento com Cães( Cipcães) brincando, correndo, farejando guloseimas caninas e recebendo carinho em um lar familiar.

A cão policial recebeu uma despedida daquelas, na última sexta-feira, quando foi levada pelos policiais para a sua nova casa, entrando definitivamente na reserva da PM. Mas, provavelmente, a sua nova casa no bairro Parque 10, zona centro sul de Manaus, vai ser uma das mais bem guardadas do bairro, já que a cadela foi treinada desde cedo.



O comandante do Cipcães, major Eduardo Freitas, diz que a partir do sexto ano de vida dos cães policiais é feita uma avaliação do desempenho no serviço diário do animal, uma vez que a rotina deles requer horas de trabalho e treino. Nessa idade, eles começam a apresentar certo cansaço e então, já sabem que é hora de procurar um responsável para adoção consciente.

“A Vênus chegou aqui com três meses de idade, e ela passou por um treinamento em torno de um ano para o faro de narcóticos e faro de armamento. No decorrer desses anos, ela participou de diversas operações e conseguiu localizar uma quantidade em torno de sete toneladas de substância entorpecente dos mais diversos tipos”, relatou.

A cachorrinha vai deixar saudades para os policiais. “Vênus era uma das melhores que temos aqui na companhia, muita droga e arma foi retirada de circulação por meio do trabalho dela. Agora, ela vai descansar. Depois de analisar as pessoas que tinham interesse em adotar, encontramos uma que preencheu os requisitos e, então, ela foi doada de forma voluntária para uma moça que já tem aptidão para cuidar de animais”, afirmou o major Eduardo Freitas.

A Cipcães faz visitas regulares para verificar se o animal doado está sendo bem tratado. Caso haja comprovação de alguma condição inadequada, o cão é resgatado e o responsável pela adoção responderá pela negligência.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.