Publicidade
Manaus
Manaus

Caos em Manaus: carreta tombada, trânsito parado e pessoas prejudicadas

Com o acidente, o trânsito de Manaus sofreu congestionamento por mais de dez horas nas principais vias da Zona Centro-Sul. Para contornar a situação e melhorar o tráfego, foi preciso liberar a faixa azul da avenida Constantino Nery e também da Mário Ypiranga 21/05/2015 às 21:38
Show 1
Conforme o Manaustrans, às 21h28 a via já estava liberada
Kamyla Gomes Manaus (AM)

Várias pessoas se sentiram prejudicadas e tiveram que deixar de lado os afazeres principais do dia devido ao acidente que ocorreu na manhã desta quinta-feira (21), por volta de 11h, envolvendo uma carreta com um contêiner acoplado, de modelo Mercedez Benz e placas BNS 4796. O veículo capotou no Complexo Viário Antônio Simões, na avenida Umberto Calderaro Filho (Antiga Paraíba).

Segundo o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), o contêiner já foi destombado e a avenida Umberto Calderaro já foi liberada.

Com o acidente, o trânsito de Manaus sofreu congestionamento por mais de dez horas nas principais vias da Zona Centro-Sul, para contornar a situação e melhorar o tráfego, foi preciso liberar a faixa azul da avenida Constantino Nery e também da Mário Ypiranga.

A assistente fiscal, Daniele Monteiro, de 29 anos, relatou que se sentiu prejudicada pelo o ocorrido, pois teve que desistir de ir pra faculdade devido à forte retenção que se encontrava nos locais por onde trafegou através do transporte coletivo.

“Eu preciso pegar dois ônibus para chegar até a faculdade, nas vias onde passei, o trânsito ficou parado por mais de 40 minutos. Não tinha condições esperar mais ainda pra ir à aula e ainda ter que chegar atrasada. Me senti prejudicada e esse tipo de acidente é preocupante, pois o que mais vemos é esses veículos grandes trafegando em alta velocidade e colocando a nossa vida em risco”, destacou a estudante.

Daniele declarou ainda que ao entrar em contato com uma amiga da faculdade, que mora nas proximidades, relatou que a instituição estava vazia, poucos alunos e nem o professor estava em aula. Havia possibilidade ainda de não haver os tempos de aula no horário normal.

Ainda conforme a estudante, a preocupação com as carretas trafegando em horários de pico em Manaus, é preocupante. “É um absurdo ser liberado um veículo daquele tamanho trafegar naquele trecho da avenida. Essas carretas causam risco o tempo todo colocando em risco a vida de outras pessoas. Deveria ter uma fiscalização mais intensificada para controlar esse tipo de tráfego”, frisou Daniele.

Aproximadamente 15 agentes estiveram no local do acidente para fazer a obstrução do trânsito, enquanto o contêiner era desemborcado e retirado da via. Para isso, a avenida teve que ser fechada por alguns minutos, por motivos de segurança, informou o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito de Manaus (Manaustrans). Enquanto isso, os motoristas tiveram que enfrentar o engarrafamento por mais de 40 minutos em cada via congestionada, pois houve lentidão durante todo o dia.

O condutor da carreta, Sérgio Carlos de Almeida, 42 anos, sofreu escoriações na cabeça e no rosto e foi levado consciente para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, localizado na Zona Centro-Sul de Manaus. No momento do acidente, o homem trafegava pela avenida Efigênio Sales, e ao tentar descer a alça do complexo diário, que dá acesso à avenida Umberto Calderado, o veículo perdeu o controle e caiu na via, o que ocasionou o bloqueio das duas faixas.

Publicidade
Publicidade