Publicidade
Manaus
Manaus

Cara a cara: mãe do bebê Pablo volta a acusar o ex-marido

Cleudes disse, desta vez, que a versão em que teria sido jogada no rio e nadado até a margem é mentirosa. Ao contrário dela, Josias sustentou a primeira versão relatada no primeiro depoimento 27/08/2015 às 19:39
Show 1
Pai e mãe do bebê Pablo ficam frente a frente pela primeira vez após o crime
Joana queiroz Manaus (AM)

A mãe do bebê Pablo Pietro, Cleudes Maria Batista de Moraes voltou a acusar o ex-companheiro Josias de Oliveira Alves, de ter jogado o filho no rio Negro na noite do dia 14 deste mês, quando chegava nesta manhã desta quinta-feira (27) na Delegacia Especial em Homicídios e Sequestros (DEHS) para acareação com o canoeiro.

Cleudes chegou acompanhada pelo seu advogado e foi direto para o cartório onde está na presença de três delegados e dos advogados de defesa do casal. O titular da especializada, Ivo Martins, disse que a expectativa de que o imbróglio sobre o destino do menino acabe hoje (27). Até as 19h, a acareação ainda não havia terminado

Segundo a assessoria da Polícia Civil, as dez primeiras horas de depoimento foram marcadas por trocas de acusações e versões fantasiosas entre Josias e Cleudes sobre o que ocorreu no dia do fato. Contudo, Cleudes admitiu que mentiu nos três primeiros depoimentos à polícia.

De acordo com o delegado Ivo Martins, desta vez ela informou que a versão em que teria sido jogada no rio e nadado até a margem é mentirosa. Ela disse que foi levada pelo próprio ex-companheiro até uma balsa que fica na margem do rio Negro, nas proximidades do porto do bairro São Raimundo, na Zona Oeste.

“Agora temos essa versão da Cleudes. Porém, essa nova informação não foi o bastante para chegarmos a uma conclusão. As investigações terão continuidade e possivelmente será necessário realizar a reconstituição do fato”, declarou Ivo Martins.

Ao contrário de Cleudes, Josias sustentou a primeira versão relatada no primeiro depoimento.

Bebê sumiu no rio

O bebê Pablo Pietro, de apenas 4 meses de idade, desapareceu durante viagem de canoa feita com o pai, Josias, e a mãe, Cleudes na noite do dia 14 deste mês. Durante a viagem, Cleudes e Josias brigaram e o pequeno Pietro foi atirado no rio Negro por um deles.

Pai confessou informalmente

O canoeiro Josias de Oliveira Alves confessou ter sido ele quem arremessou a criança nas águas. A confissão foi feita de maneira informal. Josias afirmou ter jogado o filho no rio durante uma conversa com o delegado Ivo Martins, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Entretanto, na hora de prestar depoimento oficial, para compor o inquérito policial, Josias negou tudo.


Foto: Euzivaldo Queiroz 

*Atualizada às 19h40, com informações da assessoria da PC

Publicidade
Publicidade