Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020
CEIA

Carne suína e peixes regionais para driblar a alta da carne vermelha no fim de ano

De fácil acesso e com preços bem mais em conta, peixes e o porco podem ser opções vantajosas para as reuniões tradicionais; carne vermelhas teve alta de 22o



pirarucu0_61BBCEEC-3EA7-4ECB-B973-608DDFE87F5E.jpg (Foto: Junio Matos)
22/12/2019 às 14:46

Com a chegada das festas de fim de ano, a atenção dos manauaras está voltada para o que será servido nas ceias de natal e ano novo. Com a alta de 22,9% no valor da carne bovina e o efeito cascata provocada por ela, as famílias procuram opções regionais mais acessíveis. Chefes de cozinha ouvido por A CRÍTICA sugerem  que os peixes da região podem substituir o tradicional cardápio natalino. Outra opção é a carne  de porco.

O chefe de cozinha, Marcus Vinicius, do restaurante Tambaqui no Ponto, afirmou que pratos com pirarucu podem ser preparados com poucos ingredientes e que o “Pirarucu à Bèlle Meunière” é um dos pratos mais vendidos em seu restaurante.



“O valor da carne subiu de forma brusca no Brasil e, por isso, nós temos a opção dos peixes da nossa região que, além de terem um custo baixo têm um sabor maravilhoso. O “Bèlle Meunière” é um tempero francês que adaptamos a uma comida regional”, disse Marcus Vinicius.

O chefe de cozinha afirmou que para preparar o “Pirarucu à Bèlle Meunière”, são necessários 500 g de lombo de Pirarucu cortado em filés, 100 g alcaparras, um vidro pequeno de champignon (fatiado), um dente de alho amassado, duas colheres de azeite, cinco colheres de sopa de manteiga, além de sal e limão. Na preparação, o cozinheiro explicou que, no primeiro passo da preparação, é preciso grelhar os lombos temperados junto com o alho.

“Em seguida, derreta a manteiga em uma panela e coloque o champignon e as alcaparras. Quando a manteiga estiver totalmente derretida, arrume os lombos do pirarucu em uma travessa e despeje por cima o molho. Sirva com arroz e batatas souté”, explicou o cozinheiro.

Pirarucu

O chefe de cozinha acrescentou que, outra opção de prato com o pirarucu é a “Moqueca de Pirarucu a Moda Capixaba”.

Marcus Vinicius explicou que para a preparação desta culinária, são necessários 400g de lombo de pirarucu, um maço de coentro, um maço de cebolinha verde, uma cebola média, três dentes de alho, um tomate, além de azeite de oliva, urucum e óleo de soja.

Já a chefe  Selma Reis, do restaurante Zefinha Amazonas, afirmou que a carne de porco também tem  preço acessível e tem várias opções de preparo em datas festivas. A cozinheira disse que a carne suína é saudável e, cada parte do porco pode ser aproveitada de maneiras diferentes na culinária. 

“O lombo suíno é considerado uma das carnes menos calóricas que existem, além de ser muito gostoso, mas ninguém come. Acredito que seja uma boa alternativa para a substituição da carne bovina. Os preços também são muito acessíveis”, afirmou Selma Reis.

A cozinheira acrescentou que em seu restaurante o porco é servido assado, acompanhado de molho agridoce e servido com purê de batatas. Além disso, Selma Reis recomenda o pernil, assado no forno, mas salientou que evita frituras. Em relação à preparação do carré, que é a costela do porco, Selma Reis disse que é trabalhosa, no entanto é uma das mais vendidas. “O carré é um ‘tira-gosto’, mas também vale como uma refeição. Dá trabalho, mas quem não gosta do prazer de ficar roendo um ossinho?”, afirmou.

Preços

A reportagem esteve na Feira Manaus Moderna e constatou o intenso fluxo de consumidores nos açougues e peixarias. O permissionário Alessandro Cascaes disse que o quilo do pirarucu seco é vendido por R$ 20 e o  do pirarucu enrolado está à venda por R$ 12. “A procura é grande, mas poderia ser melhor. A acessibilidade dos clientes é prejudicada por conta do trânsito caótico da cidade. Mas aqui, nós vendemos o peixe muito mais barato do que pode ser encontrado nas redes de supermercados”, disse.

Carne suína

No box do feirante Edvan Cavalcante, o quilo do pernil de porco é vendido a R$ 13 e a costela suína a R$ 14.  Os preços estão padronizados em outras bancas do local.

A técnica de enfermagem, Vanessa de Barros, disse que na ceia de natal vai preparar o peru, além de pratos variados com peixes. “Vou fazer o ‘Pirarucu à casaca’, que é um prato bem regional e todo mundo gosta. A carne vermelha eu ‘passo direto’, porque eu gosto muito de carnes brancas e a minha família também”, disse a técnica.

A empresária Janete Carvalho escolheu um molho de camarão para confraternizar com a família.   “Eu sou proprietária de um salão de festas e, para atender às demandas, preferimos ainda utilizar a carne vermelha. Apesar de cara, tantos os clientes, quanto os meus familiares não estão abrindo mão de consumir”, contou.

A opinião da especialista - Natália Belquior (Nutricionista)

“O bacalhau  é uma excelente opção  para substituir a carne porque tem Ômega 3, além de outros sais minerais. Além disso, ele tem uma infinidade de opções de preparo e com ele podemos fazer saladas, suflês e escondidinhos.

A carne de pirarucu também é uma excelente opção regional porque além de substituir a carne vermelha, é muito saborosa e tem muitas possibilidades de preparo.

Em casa, vamos preparar o ‘Pirarucu de Casaca’, e também as  ‘Delícias de Pirarucu’ que tem como base a batata. Gostamos também de fazer a salada de pirarucu, onde preparamos ele somente com as verduras”

 Alta da carne puxa a inflação

Devido à alta no valor da carne, a inflação (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo -IPCA) deve aumentar nos próximos meses. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a inflação em novembro chegou a 0,51%. O Banco Central (BC) projeta que a inflação vai chegar a 0,81% em dezembro. Em janeiro de 2020 deve ficar em 0,53% e em fevereiro, em 0,45%. O BC considera, ainda, que a inflação neste ano e nos próximos está em níveis confortáveis. A informação foi divulgada no dia 19 de dezembro no Relatório de Inflação, apresentado trimestralmente.

O BC diz que em novembro a inflação ficou 0,26 ponto percentual acima do projetado, “repercutindo a combinação da elevação acentuada nos preços de carnes com o reajuste dos jogos lotéricos e o acionamento da bandeira vermelha” da energia elétrica.

Caso se concretize, a alta de 1,80% no trimestre será consideravelmente superior à variação de 0,90% observada entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019. “As taxas de inflação mais altas esperadas para o trimestre encerrado em fevereiro, em comparação com as observadas entre setembro e novembro, refletem a perspectiva de alta adicional nos preços de carnes, recuperação dos preços de alimentos in natura– movimento compatível com período chuvoso – e de elevação dos preços de combustíveis, influenciados pela depreciação do câmbio [alta do dólar] e entressafra da cana. Destacam-se, ainda, as altas sazonais nos custos de passagem aérea, ônibus urbano e educação, em dezembro, janeiro e fevereiro, respectivamente”, diz o BC, no relatório.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.