Publicidade
Manaus
REINTEGRAÇÃO

Casal de idosos é despejado de casa por funcionários do Prosamim, em Manaus

Eles foram surpreendidos com uma ordem de reintegração do imóvel, onde viveram por mais de 30 anos, no bairro “Matinha” 21/06/2017 às 11:39 - Atualizado em 21/06/2017 às 15:29
Show c8a62958 ed71 48d9 aef5 ff57e71e9381
Foto: Euzivaldo Queiroz
Isabelle Valois Manaus (AM)

Um casal de idosos foi despejado da própria casa na manhã desta quarta-feira (21), em Manaus, por funcionários da Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) e do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). Eles foram surpreendidos com uma ordem de reintegração do imóvel e tiveram que se retirar com todos os pertences. No local serão construídas casas do programa Prosamim.

Os dois idosos, o aposentado Waldemiro de Souza Ribeiro, de 65 anos, e a dona de casa Natalina Rodrigues de Souza, 68, viveram por mais de 30 anos na residência, que fica localizada na rua Walter Rayol, bairro Presidente Vargas, conhecido como “Matinha”, na Zona Sul da capital. Eles estavam dentro da casa quando funcionários da Suhab e do Prosamim bateram à porta informando sobre o despejo.

De acordo com os dois idosos, uma ação sobre a reintegração do imóvel ainda tramita na Justiça, mas sem acordo, já que o poder público se nega a pagar o valor estipulado pelos moradores. Conforme o aposentado Waldemiro Ribeiro, a Superintendência de Habitação se propôs a indenizá-los com uma quantia equivalente a 33% do preço oficial da casa.

Tanto Waldemiro quanto Natalina contam que foram informados da reintegração de posse há apenas dois dias, na última segunda-feira (19). Eles estavam em uma viagem ao município de Coari, no interior do Estado, a 363 quilômetros da capital, visitando os filhos, quando foram informados por um sobrinho que fiscais da Suhab foram à residência deles entregar um documento da reintegração de posse.

“Nós voltamos o mais rápido possível, pois a nossa casa (processo) tramita na Justiça. Quando foi hoje que os fiscais da Suhab nos informaram que foi depositado em juízo um valor de R$ 43 mil, porém estamos pedindo R$ 120 mil. Com esse valor (R$ 43 mil) não conseguimos comprar uma moradia digna em nenhum canto. Se eu retirar esse dinheiro, estarei aceitando o acordo deles e não é isso que nós queremos”, explicou o aposentado Waldemiro.

Advogados do casal de idosos informaram à reportagem que o pedido de reintegração de posse, feito pela Suhab, foi aceito pelo juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Cid da Veiga Soares Júnior. Os advogados afirmaram, porém, que o processo ainda não foi concluído e que seria necessária uma perícia no local. “Não houve acordo e por conta disso a casa deve passar por perícia e avaliação dos valores. Agora querem colocar o casal para fora sem terem para onde ir. Isso é muito desumano, eles (os órgãos) estão obrigando o casal aceitar o que foi imposto por eles”, disse Luke Pacheco, advogado.

Em nota, a Suhab informou que cumpriu uma decisão judicial referente à desapropriação do imóvel. O órgão comunicou ainda que o residência se encontra na área de intervenção do Prosamim e que o imóvel já está com o valor de indenização depositado em juízo. “Nessa área de atuação do programa é a terceira do total de cinco desapropriações que serão feitas em cumprimento a decisão judicial”, disse a assessoria de imprensa da Suhab.

Publicidade
Publicidade