Publicidade
Manaus
ÁREAS DE RISCO

Casas construídas em terrenos inadequados têm risco de desabamento em Manaus

Mesmo em bairros considerados mais desenvolvidos e mais próximos da área central é fácil identificar casas construídas em barrancos 31/07/2017 às 05:00
Show 17
Foto: Antônio Lima
Kelly Melo Manaus (AM)

Áreas consideradas de risco para construções de imóveis não são exclusividade da periferia de Manaus. Mesmo em bairros considerados mais desenvolvidos e mais próximos da área central é fácil identificar casas construídas em barrancos.

Esse é o caso da família da dona de casa Néia Bentes 52, que mora com o marido e os quatro filhos e netos na rua Luís de Camões, no bairro Santo Antônio, na Zona Oeste. A casa em que eles vivem fica no alto de um barranco de mais de 10 metros e que está em erosão. “Quando chove a gente fica bastante preocupado porque o barranco desliza. Ele já cedeu bastante, mas ainda não tivemos condições arrumar”, contou a mulher.

Como a casa é alugada, a dona de casa afirmou que espera apenas uma sinalização positiva do proprietário para construir um muro de contenção no local. “Temos crianças em casa, então a calçada está perigosa desse jeito. Um deles pode cair e antes que um acidente aconteça, queremos providenciar o reparo”, afirmou ela que mora no local há nove anos.

Segundo Néia, o barranco começou a desabar quando o local foi escavado para improvisar uma garagem. Mas como o barro começou a ceder, eles tiveram que improvisar e colocar cascalho ao redor para impedir que o terreno continue desabando.

Na mesma rua da dona de casa, outras casas foram construídas em áreas elevadas. Em algumas casas, os proprietários chegaram a revestir o barro com concreto para evitar deslizamentos. Em outras, mesmo o barranco estando à mostra, a vegetação existe ajuda a manter a estabilidade do solo.

De acordo com a dona de casa Nazaré Vieira da Silva, 55, que mora no mesmo local há 45 anos, nem sempre a rua Luís de Camões foi assim. “Algumas casas ficaram mais altas porque a Prefeitura cavou muito para enlarguecer a rua. Aí, se formos observar, algumas casas estão no mesmo nível da rua, mas outras estão bem mais altas”, explicou.

Apesar de estar em uma área mais elevada e próxima ao declive, segundo ela, a estrutura da casa em que mora nunca sofreu nenhum dano. “Aqui é super seguro. Nunca notamos nada de anormal”, explicou ela.

Estudo técnico

De acordo com o engenheiro civil Anastácio Cantisani, que é especialista em engenharia de estruturas, o grande problema de edificações em áreas acidentadas é a falta de conhecimento técnico. “Sem sombra de dúvidas essas áreas precisam de um estudo do local, tomar as devidas providências e precauções feitas por um técnico, um engenheiro. É possível sim, construir em beira de barranco, mas é preciso tomar todos os cuidados para evitar acidentes”, explicou.

Construções de imóveis em áreas não periféricas e próximas ou em cima de barrancos também podem ser observadas em outros pontos de Manaus.

Na avenida Presidente Dutra, no Santo Antônio, casas foram construídas em uma área ingríme que parece estar cedendo. Os moradores chegaram a colocar sacos de areia em parte de barranco para evitar deslizamentos.

Na avenida Mário Yíranga, no Parque Dez de Novembro, na Zona Centro-Sul, também é possível observar prédios que foram construídos próximos à declives.

Estabilidade

Segundo o engenheiro civil Anastácio Cantisani, a vegetação que cresce em volta dos barrancos ajuda a manter a estabilidade do terreno. Ainda segundo ele, as barreiras de concreto construídas nessas áreas também só serão eficazes se feitas em conformidade com as normas técnicas.

Construções

Construções de imóveis em áreas não periféricas e próximas, ou em cima, de barrancos também podem ser observadas em outros pontos de Manaus como é o caso de prédios na avenida Mário Ypiranga, no Parque Dez de Novembro, na Zona Centro-Sul.

Publicidade
Publicidade