Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Manaus

Casas Legislativas do AM vazias durante recesso

A CRÍTICA constatou ausência de parlamentares, embora assessorias informem que os mesmos trabalhem nas férias



1.jpg Deputados estaduais prometeram trabalhar no recesso, mas mantêm apenas os funcionários nos gabinetes para atendimento
25/01/2012 às 09:07

Faltando dez dias para o fim do recesso parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), dos 24 deputados estaduais apenas dois estavam, nessa terça-feira (24), com os gabinetes fechados: Marcos Rotta (PMDB) e Francisco Souza (PSC).

O deputado estadual José Ricardo (PT) era o único que estava no prédio da ALE-AM e cumprindo agenda interna. Apenas duas pessoas estavam em busca de atendimento parlamentar pela manhã dessa terça-feira, na ALE-AM.



E procuravam assistência justamente nos gabinetes que estavam fechados. Ambos não conseguiram falar com os deputados, Marcos Rotta e Francisco Souza. No gabinete de Marcos Rotta, a procura era por emprego. No dia 6 de janeiro, quando a reportagem constatou o gabinete de Rotta e Souza fechados, a assessoria do primeiro disse que ele estava de férias, mas havia deixado o gabinete funcionando. Já no gabinete de Francisco Souza, havia um comunicado informando que o gabinete ficaria fechado durante todo o recesso.

Nos corredores da Casa Legislativa, pode-se notar um movimento ainda fraco de pessoas em busca dos parlamentares, porém os funcionários mostravam ânimo e empolgação.

“Estamos aqui recebendo as pessoas e a imprensa e atendendo ao deputado também”, disse Warnoldo Freitas, assessor de imprensa do Chico Preto. Recesso de 45 dias O recesso parlamentar neste início de ano na ALE-AM é de 30 dias, mas os deputados contam com mais um descanso de 15 dias no mês de julho, quando a Assembleia vai entrar em novo recesso. No início de janeiro, o compromisso apresentado pelos parlamentares era que 20 gabinetes ficariam com as portas abertas (veja boxe). O único deputado encontrado na Casa, José Ricardo, disse que estava aproveitando o recesso para reunir assessores, no auditório Beth Azize, e discutir as prioridades para as ações em 2012.

No local, se reuniram 29 assessores opinando sobre quais as demandas da população para este ano. De acordo com José Ricardo, o balanço das ações de 2011 foi feito no início de janeiro e a prioridade nesse mandato é aproximar ainda mais a população do parlamento.

“Vamos intensifica a presença do parlamento nas comunidades, para que as pessoas participem do mandato, colocando suas expectativas, dizendo como está nosso trabalho e colocando também as críticas”, disse.

 Assessores do deputado estadual Luiz Castro (PPS) se adiantaram em justificar a ausência dele nessa terça, esclarecendo que no dia anterior ele havia comparecido a ALE-AM e que trabalhava de casa.

Na CMM, silêncio e portas fechadas

Ao contrário da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), os gabinetes da Câmara Municipal de Manaus (CMM) estavam todos fechados nessa terça-feira.

E os vereadores têm um recesso maior que o dos deputados. Enquanto na ALE-AM são 30 dias de recesso, a CMM concede 40 dias de recesso aos vereadores entre dezembro e fevereiro, além de 15 dias entre os meses de junho e julho.

Já na entrada da CMM, há uma placa informando sobre o período do recesso e o início das atividades: somente no dia 6 de fevereiro. Nos corredores da Casa, o que se encontra é silêncio, movimento fraco e portas fechadas.

Os funcionários dos gabinetes, que preferiram não serem identificados pela reportagem, informaram que os vereadores estão aproveitando o recesso para planejarem a campanha eleitoral de 2012, em que vão tentar a reeleição.

Os únicos gabinetes que estavam funcionando na CMM, nessa terça-feira, pela manhã, eram do vereador Amauri Colares (PSC), Ademar Bandeira (PT), Conceição Sampaio (PP), Francisco Gomes (PSD), Gilmar Nascimento (PDT), Lúcia Antony (PCdoB) Luiz Alberto Carijó (PDT), Massami Miki (PSL) e Vilma Queiroz (PTC).

Em todos eles, não havia nenhum parlamentar, mas assessores e funcionários diziam estar trabalhando. No corredor de gabinetes da CMM, o único parlamentar presente era Francisco Gomes. O vereador disse que o gabinete fica aberto porque ele tem compromisso a população.

Gomes destacou que, durante os 40 dias de recesso parlamentar, há muita demanda na cidade de Manaus. Sobretudo, a provocada pelo período de chuvas.

“As pessoas que tem suas casas invadidas pela águas, ou ruas esburacadas e que causa problemas nesse período chuvoso, por exemplo, vem nos pedir ajuda junto a defensoria pública”, informou. Mas, o que se pode perceber ontem na CMM é que quase ninguém buscava atendimento. Talvez por saberem que durante o recesso parlamentar a maioria dos gabinetes fica fechado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.