Publicidade
Manaus
Manaus

Casos de dengue aumentam em Manaus

Número de casos em Manaus registrou um aumento de 70% e Semsa adianta as campanhas de conscientização e combate 05/10/2013 às 08:39
Show 1
Ferros-velhos, depósitos de lixo e de construções, bem como as borracharias são considerados os ‘pontos estratégicos’ para a proliferação do mosquito da dengue e, por isso, serão visitados pelos agentes de endemias neste período
Jaíze Alencar ---

Manaus registrou um aumento de 70% no número de casos de dengue este ano, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). A pasta agora pretende antecipar as ações de combate à dengue para reduzir os focos do mosquito Aedes Aegypti.

O próximo trimestre deverá ser de atenção redobrada para os focos de dengue no Estado, pois é quando inicia o período de transição para a época chuvosa, o que facilita a proliferação dos mosquitos Aedes Aegypti.

De acordo com o secretário municipal de saúde Evandro Melo, as equipes de saúde já estão realizando o Levantamento do Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (Liraa), para montar o plano de ação que deverá começar na segunda quinzena do mês de outubro. “No ano passado as ações começaram muito tarde, por volta de janeiro e fevereiro, por isso tivemos um índice tão alto de registros da doença, então vamos começar a atuar neste período de outubro à dezembro quando começam as chuvas para que em janeiro não tenhamos muitos casos de dengue”, comparou.

A meta da Semsa é reduzir em pelo menos 50% os índices de dengue em Manaus em relação a este ano quando foram registrados mais de 12 mil casos, ressalta Melo.

A Semsa está mapeando 100% dos locais que são criadouros potenciais da cidade, considerados ‘Pontos Estratégicos’, são: ferros velhos, depósitos de lixo e construções, que serão monitorados através de um plano de ação desenvolvido específicamente para os proprietários, destacou Melo. “Não queremos que esses lugares sejam reprodutores da dengue, os donos deverão realizar ações de prevenção, que serão monitoradas e fiscalizadas pelas equipes da Semsa semanalmente.

As Zonas Leste e Norte de Manaus são as que apresentam o maior índice de casos de dengue por conta da falta de fornecimento de água encanada, afirmou o secretário. “No início do ano, os focos de mosquito estavam mais concentrados nos depósitos de armazenamento irregulares de água (toneis e camburões com 48,5% e 42,5%, respectivamente), já nas zonas Oeste e Sul o problema maior foi relacionado à questão do lixo (resíduos descartados pelos moradores como latinhas e garrafas plásticas) com 42,1% e 36%, respectivamente.

A previsão do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) é de que em outubro chova entre 9 e 12 dias ao longo do mês. Com possibilidades de termos chuvas além do esperado como aconteceu em setembro, que compreende o trimestre dos meses secos e foi considerado um mês chuvoso, atingindo 190 milímetros, superando a média de 89 milímetros.

Fiscalização particular em 10 minutos

Dez minutos do seu tempo! De acordo com estudos técnicos da equipe da Semsa, este é o tempo mínimo ideal por semana, para que uma pessoa fiscalize a casa e o quintal, e elimine possíveis focos da doença é o essencial, salienta Melo. “A pessoa só precisa fazer isso uma vez na semana, esvaziar os recipientes que podem ter acumulado água das chuvas, colocar um pouco de areia nos vasos de plantas, colocar um pouco de cal nas poças d’água para evitar que o mosquito deposite seus ovos, com essas medidas ela vai estar evitando muitos problemas para ela e para a sociedade”, explicou.

As ações de conscientização junto a população, visam também a Copa do Mundo do ano que vem. “Não queremos a nossa população doente para receber os turistas”, disse.

Publicidade
Publicidade