Publicidade
Manaus
Manaus

Catolé explode em colete de PM durante treinamento de tiro

O soldado em formação teve ferimentos superficiais e passa bem. Vídeo do caso, ocorrido no último dia 5, começou a circular nas redes sociais nesta segunda (15) 15/06/2015 às 16:21
Show 1
Alunos participavam do exercício de tiro do curso de formação de soldados
Kamyla Gomes Manaus (AM)

CONFIRA O VÍDEO DA EXPLOSÃO

O soldado da Polícia Militar (PM) André Ferreira de Souza foi atingido por um catolé (pequeno explosivo tipicamente usado em comemorações e festas juninas), durante um treinamento de capacitação e treinamento da instituição. O artefato foi lançado no momento em que o soldado - o qual está em fase de formação - treinava tiro, acabou entrando no colete dele e explodiu.

Segundo a PM, o uso de pequenos explosivos como esse é rotina nos treinamentos, para simular situações de perigo real, e que esse foi a primeira vez que houve um acidente desse tipo.

O caso ocorreu no dia 5 de junho deste mês, no Centro de Treinamento de Tiro Policial (CTTP), localizado na estrada da avenida Torquato Tapajós, quilômetro 8, bairro Santa Etelvina, Zona Norte. Um vídeo que registrou o momento da explosão começou a circular nesta segunda-feira (15) nas redes sociais.

A PM informou que o caso aconteceu durante a realização da prova "Tiro Real do Ciclo XVlll". O vídeo mostra que André estava em exercício de tiro quando o catolé entrou no colete balístico dele e explodiu. Ele não percebeu de imediato. Um colega viu que o artefato lançado caiu dentro do colete a ainda tentou retirá-lo antes da explosão. O colete ficou totalmente destruído e André ferido no abdômen.


De acordo com a PM, o soldado teve ferimentos superficiais e foi socorrido de imediato pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que já se encontrava no local do acidente. A presença da ambulância de plantão faz parte dos procedimentos padrões para provas com armamento.

O soldado foi encaminhado até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizado no bairro Tarumã, Zona Centro-Oeste da capital, onde foi atendido e ficou em observação. No dia seguinte foi liberado. Já no dia 8 de julho, André voltou às atividades normais de trabalho.

A PM informou também que deu todo apoio ao aluno, com acompanhamento médico, medicamentos e suporte a sua família. A Diretoria de Justiça e Disciplina da corporação abrirá uma sindicância para apurar o fato para saber se há indícios de crime ou transgressão da disciplina.

Publicidade
Publicidade