Publicidade
Manaus
CIDADE FLUTUANTE

Cemitério de embarcações na orla de bairro de Manaus é abrigo para criminosos

Descaso com o local, onde são construídos flutuantes e que é uma lixeira a céu aberto, preocupa moradores do Educandos 07/01/2017 às 05:00 - Atualizado em 07/01/2017 às 09:02
Show flutuante0555
César: ‘Morar hoje nas proximidades da orla do Educandos é saber que a qualquer momento você pode ser assaltado’
Isabelle Valois Manaus

Além dos problemas de erosão  na orla do Educandos, na Zona Sul, César Pereira, que é um dos moradores mais antigos do bairro, contou que há outro problema sério nesta região, com o qual o poder público também não tem se preocupado: o descaso com o local, onde são construídos principalmente flutuantes, que virou um cemitério de embarcações e uma lixeira a céu aberto.

Conforme César, o cemitério de embarcações se transforma em  uma cidade flutuante da marginalidade, pois além de virar abrigo para criminosos, é um local de venda de entorpecentes, prostituição e até de crimes contra a vida. “Morar hoje nas proximidades da orla do Educandos é saber que a qualquer momento você pode ser assaltado, levar um tiro ou até violentado, pois esses marcos velhos viram abrigo para todo e qualquer tipo de marginalidade. Não há um monitoramento e se os moradores forem reclamar somos ameaçados. Não tem nem como ficar sentado na própria varanda da minha casa despreocupado, pois podemos ser um alvo da marginalidade”, comentou o morador.

Outra irregularidade apontada por César é a presença cada vez maior de flutuantes. “Quando o rio começa a subir, há invasores que constroem uns barracos que depois se transforma em flutuantes. Nada é fiscalizado e qualquer pessoa faz o que bem quer”, disse.

Publicidade
Publicidade