Publicidade
Manaus
RESPEITO E AMOR AO PRÓXIMO

Centenas de amigos de jovem morto a tiros no São Jorge pedem paz em caminhada

Antônio Henrich Câncio Araújo, 27, foi morto após sofrer um atentado e ser baleado quando ia visitar um imóvel onde pretendia morar com a noiva. A mãe e a irmã dele também foram alvejadas 05/10/2018 às 19:06 - Atualizado em 05/10/2018 às 19:11
Show paz 916a17d8 c1b6 4792 912a 83ec8330e626
Fotos: Márcio Silva
Vitor Gavirati Manaus (AM)

Amigos, familiares e colegas de trabalho de Antônio Henrich Câncio Araújo, 27, realizaram uma caminhada por ruas da região central e da Zona Oeste de Manaus, pedindo paz, no final da tarde desta sexta-feira (5). Antônio faleceu na madrugada da última segunda-feira (1°), horas depois de sofrer um atentado e ser baleado na rua São José, no bairro São Jorge, Zona Oeste de Manaus.

A caminhada começou às 18h, no Largo de São Sebastião, no Centro. Com roupas e bexigas brancas, além de cartazes e apitos, cerca de duzentas pessoas passaram pela Igreja de Aparecida, e ruas dos bairros São Raimundo e Glória, encerrando o ato na Escola Municipal Paula Frassinetti, onde Antônio trabalhava. Os manifestantes também fizeram orações e cantaram diversas canções religiosas ao longo do percurso.

A mãe e a irmã do motorista, Ângela Câncio, 49, e Adriany Câncio, 25, também vítimas e atingidas no atentado. O carro de Henrich foi acertado por aproximadamente 15 tiros no último domingo (30). Ângela foi alvejada no braço e perna, sua irmã Adriana Priscila, foi alvejada de raspão no rosto.

A noiva de Antônio, Raissa Carvalho, 26, que estava fora do carro no momento do atentado, participou da caminhada. “A gente está fazendo esta caminhada justamente em memória dele. Era o desejo dele, tocar na igreja, fazer um louvorzão. Então a gente está fazendo isso em homenagem a ele, clamando por paz”, contou.

“A nossa maior motivação foi a morte trágica do nosso amigo Henrich. Mas o nosso grito é pela paz, nosso desejo é de paz. A justiça vai correr seu curso normal, mas o que nós estamos pedindo é a paz para nossas famílias que perderam o direito de ir e vir na cidade de Manaus”, acrescentou Roseane Damasceno, amiga do Henrich.

A “Caminhada pela Paz” foi organizada por familiares e amigos de Henrich e pela Comunidade Católica Despertai, da qual ele fazia parte; pela direção da Escola Municipal Paula Frassinete, na Glória, onde trabalhava como secretário, grupo Elohim de São Raimundo  e grupo Juventude Unida em Cristo (JUC), ambos do bairro Glória.

Publicidade
Publicidade