Publicidade
Manaus
Manaus

Centro de Manaus ainda é o mais procurado por consumidores

De acordo com a avaliação, (59%) dos 400 consumidores abordados optam por adquirir produtos nas lojas do centro. Os outros (26,5%) preferem comprar nos shoppings e (14,5%) no comércio de bairro 03/09/2013 às 19:38
Show 1
A constatação foi feira pela pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor, encabeçada pelo Instituto Fecomércio, no mês de agosto
acritica.com Manaus

A área comercial do centro de Manaus continua sendo a opção mais procurada pelos consumidores manauraras. A constatação foi feira pela pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor, encabeçada pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresarias do Amazonas (Ifpeam), no mês de agosto.

De acordo com a avaliação, (59%) dos 400 consumidores abordados optam por adquirir produtos nas lojas do centro. Os outros (26,5%) preferem comprar nos shoppings e (14,5%) no comércio de bairro.

Os consumidores também foram indagados sobre quais os fatores que influenciam na escolha do local onde costumam fazer suas compras, onde a maioria apontou os preços (46,8%), seguidos da variedade de lojas (19,0%), variedade de produtos (17,0%), localização (14,8%), segurança (9,5%), climatização (9,3%), promoções (7,8%) e estacionamento que apresentou 7,3%.

Segundo a pesquisa, a grande maioria dos consumidores utiliza a modalidade cartão de crédito como principal forma de pagamento, com 52,0% do total de consumidores entrevistados, seguido do pagamento em dinheiro ou débito automático com 48,0%.

Para os entrevistados que costumam fazer compras no centro da cidade, os preços(68,2%), seguidos da variedade de lojas (28,0%), variedade de produtos (19,1%) e promoções (12,3%), foram os principais atrativos considerados. Já a localização (65,5%), variedade de produtos (15,5%) e preços (10,3%) são os fatores que levam os consumidores a fazerem compras no comércio local. Quem costuma fazer compras em shoppings leva em consideração principalmente à segurança (34,0%), climatização (33,1%) e estacionamento (22,6%).

Publicidade
Publicidade