Publicidade
Manaus
Manaus

Centro de Manaus: Camelôs e restaurantes devem ser retirados do entorno da praça da Matriz

A Secretaria Municipal Extraordinária para Requalificação do Centro estuda abertura de nova via, ao lado do Relógio Municipal, resgatando traçado original do espaço público: início da empreitada está previsto para o mês de junho 03/04/2013 às 07:47
Show 1
Iluminação do Relógio Municipal foi trocada ontem: monumento foi escolhido como símbolo do início da revitalização do Centro
Steffanie Schmidt ---

Até junho, a praça da Matriz, no Centro, deverá ser fechada para a retirada dos camelôs e dos restaurantes que estão no local. A Secretaria Municipal Extraordinária para Requalificação do Centro (Semex) estuda ainda a possibilidade de abrir uma via ao lado do Relógio Municipal, no entorno da Catedral Metropolitana de Manaus, resgatando o projeto original da praça.

A finalidade da nova via só deverá ser definida quando o projeto de recuperação estiver pronto, o que deve ocorrer nas próximas semanas. Uma das possibilidades em análise é a de que ela tenha o piso original recuperado a fim de fazer um calçadão cultural, aos moldes do que acontece hoje no Largo São Sebastião, também no Centro.

O início da revitalização do local, com vistas à Copa do Mundo, iniciou no último sábado com a retirada de quatro barracas de alimentação que ocupavam o entorno do relógio. Depois da ação, alguns vendedores ambulantes ainda tentaram voltar a ocupar o espaço, segundo o comerciante Fausto Isaac Sahdo, 56, que é zelador do Relógio Municipal. “Eles só não conseguiram por que a Prefeitura vem mantendo uma fiscalização diária por aqui”, disse.

A Semex confirmou que outros ambulantes já tentaram se estabelecer no local, vendendo comidas e bebidas em isopores e carrinhos, mas foram retirados pela fiscalização.

Ainda segundo Fausto Sahdo, que é herdeiro da família responsável pela manutenção do relógio há mais de 50 anos, as barracas e carrinhos de lanche já estavam invadindo a área do Relógio. “Com essa história de bebida, a segurança ficava comprometida. O pessoal só respeitava enquanto eu estava aqui, depois das 17h, era muita bagunça”, disse.  Ontem, a iluminação do local foi trocada e nos próximos dias a estrutura deverá ser pintada, segundo Fausto.

‘Cota de sacrifício’

Segundo o taxista Sidomar Ferreira Brito, 57, que está há dois meses atuando no local, a movimentação de clientes diminuiu. “Mas eu acho que com cada um tem que dar sua cota de sacrifício para o bem da cidade. Está muito mais bonito assim, organizado”. Os táxis que antes ficavam estacionados dos dois lados da av. Eduardo Ribeiro, agora deixaram o lado do Relógio. 

“Ficou muito melhor agora, antigamente não se via mais nada. Eram só cadeiras e toldos ao redor”, afirmou o autômono Raimundo Peres Costa, 29.

Publicidade
Publicidade