Publicidade
Manaus
Manaus

Centro de Zoonoses recebe cerca de 600 animais por mês

Segundo o diretor do CCZ, o médico veterinário Francisco Zardo, em média, 600 animais, entre cachorros e gatos, são deixados pelos próprios donos no departamento a cada 30 dias 14/03/2013 às 17:09
Show 1
A dificuldade em agendar as cirurgias de castração pode aumentar o número de animais abandonados
acritica.com Manaus

O presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Everaldo Farias (PV), promoveu uma reunião com a presença de representantes do governo e da prefeitura para debater a criação do Conselho Municipal de Proteção aos Animais. A estatística de animais abandonados no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e vítimas de maus tratos foram os principais assuntos discutidos durante a reunião. O presidente da Comissão de Saúde da CMM, vereador Marcelo Serafim (PSB), também participou do encontro. 

Segundo o diretor do CCZ, o médico veterinário Francisco Zardo, em média, 600 animais, entre cachorros e gatos, são deixados pelos próprios donos no departamento a cada 30 dias. “Os motivos do abandono incluem: viagens, mudança de residência e alguns casos ou dono admite que simplesmente deixou de gostar do animal. Infelizmente, a maioria adoece e temos que aplicar a eutanásia”, disse Zardo.

Já o representante do Batalhão Ambiental, sargento Ruy Baraúna, informou que o órgão recolhe por dia dois animais (entre cachorros e gatos),   vítimas de maus tratos, o equivalente a 60 animais por mês. “Chegamos aos locais através de denúncias e verificamos que os animais são agredidos ou ficam sem se alimentar por dias nas casas dos próprios proprietários”, afirmou.

Os representantes do Batalhão Ambiental e do Centro de Zoonoses se mostraram defenderam a criação do Conselho Municipal de Proteção aos Animais. “O conselho poderia ajudar a definir quem de fato seria o responsável no município pela fiscalização dos casos de maus tratos, questão  que até hoje não foi definida no município”, afirmou.

Para Everaldo Farias, o cuidado com os animais é principalmente uma questão de saúde pública. “Precisamos entender que cuidado com os animais inclui crimes contra a fauna, mas  é um caso de saúde pública. Porque eles acabam sendo transmissores de doenças graves, caso não sejam cuidados corretamente. Políticas públicas de controle de natalidade, por exemplo, poderiam contribuir bastante na resolução do problema de abandonos”, afirmou.  

A presidente da Organização Não Governamental (ONG) “Cachorreiros de Manaus” Érika Schloemp disse que somente a criação do Conselho Municipal de Proteção aos Animais poderá concentrar de forma eficaz os crimes contra os animais e problemas de saúde pública, relacionados a eles. “Fico feliz de saber que agora finalmente a proposta do conselho está andando”, completou.

Everaldo Farias disse que o próximo passo para a criação do conselho ocorrerá com a realização da audiência pública sobre o tema no mês que vem na Câmara Municipal de Manaus.

Com informações da assessoria.

Publicidade
Publicidade