Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
Manaus

Cerca de 10 mil devotos celebram dia de São Sebastião, em Manaus

Um dos mais populares santos da igreja católica, São Sebastião deu a sua vida, mas nunca negou sua fé em Cristo Jesus. Procissão foi marcada pela emoção e alegria, na capital amazonense



1.jpg Devotos de São Sebastião se reuniram ontem na igreja de mesmo nome, localizada no Centro, e seguiram em procissão em homenagem a um dos santos mais populares da Igreja Católica
21/01/2015 às 10:55

Cerca de 10 mil devotos se reuniaram ontem na igreja de São Sebastião, às 16h30, para seguir na procissão em homenagem ao dia de São Sebastião. O soldado romano que se manteve fiel a sua fé em Cristo mesmo quando teve sua vida ameaçada. As pancadas e flechas foram suficientes apenas para matar o corpo, mas não a fé do soldado, que passou a ser o santo das causas impossíveis, aquele que intercede por seus devotos com Jesus para que alcançem suas graças.

O eletricista Deusdete Amorim de Oliveira, 42, sofreu um acidente de trabalho há 2 anos e hoje precisa de moletas para andar. A dificuldade fortaleceu a sua fé e mesmo com o obstáculo caminhou junto a procissão. “Acredito que ele vai ajudar a me curar e logo vou poder caminhar na procissão sem usar essas moletas”, diz o fiel.



Já Socorro Lapa, 59, enfrentou a procissão descalça. Ela precisa fazer uma cirurgia de apendicite, mas está com medo do bisturi. “Sei que São Sebastião pode inteceder por mim para que eu seja curada e não precise fazer a cirurgia. Tenho medo”, confessa administradora de empresas.

Agradecimentos

Lombard da Costa, 63, também retirou o calçado para acompanhar a procissão, segundo ele essa é uma tradição de mais de 20 anos. “Pedi que eu pudesse viver do meu próprio negócio e ha mais de 20 anos alcancei a graça e venho as procissões. Tenho minha própria empresa de suspensão de carros”, conta agradecido.

Nascida em Amaturá (), Maria do Carmo de 63 anos também é uma veterana nas procissões. Ela agradece pela saúde e especialmente pela família. “Quando eu era mais nova sonhava em ter três filhos e minha primeira filha veio a falecer ainda bebe. Depois fui abençoada com um casal de gêmeos, hoje estão com 36 anos, e mais tarde tive minha caçula, hoje ela estpa com 33 anos”, afirma.

Além de andar em toda a procissão sem o calçado, Marina Silveira, 74, disse que vai se vestir de vermelho durante todo o ano. “Minha filha, Carla Tomas, 32, sobreviveu a uma cirurgia que a sogra dela se submeteu e veio a falecer. Prometi vir a procissão de São Sebastião descalça e vou me vestir apenas de vemelho durante todo o ano”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.