Publicidade
Manaus
Manaus

Cerca de 10 mil devotos celebram dia de São Sebastião, em Manaus

Um dos mais populares santos da igreja católica, São Sebastião deu a sua vida, mas nunca negou sua fé em Cristo Jesus. Procissão foi marcada pela emoção e alegria, na capital amazonense 21/01/2015 às 10:55
Show 1
Devotos de São Sebastião se reuniram ontem na igreja de mesmo nome, localizada no Centro, e seguiram em procissão em homenagem a um dos santos mais populares da Igreja Católica
Cynthia Blink Manaus (AM)

Cerca de 10 mil devotos se reuniaram ontem na igreja de São Sebastião, às 16h30, para seguir na procissão em homenagem ao dia de São Sebastião. O soldado romano que se manteve fiel a sua fé em Cristo mesmo quando teve sua vida ameaçada. As pancadas e flechas foram suficientes apenas para matar o corpo, mas não a fé do soldado, que passou a ser o santo das causas impossíveis, aquele que intercede por seus devotos com Jesus para que alcançem suas graças.

O eletricista Deusdete Amorim de Oliveira, 42, sofreu um acidente de trabalho há 2 anos e hoje precisa de moletas para andar. A dificuldade fortaleceu a sua fé e mesmo com o obstáculo caminhou junto a procissão. “Acredito que ele vai ajudar a me curar e logo vou poder caminhar na procissão sem usar essas moletas”, diz o fiel.

Já Socorro Lapa, 59, enfrentou a procissão descalça. Ela precisa fazer uma cirurgia de apendicite, mas está com medo do bisturi. “Sei que São Sebastião pode inteceder por mim para que eu seja curada e não precise fazer a cirurgia. Tenho medo”, confessa administradora de empresas.

Agradecimentos

Lombard da Costa, 63, também retirou o calçado para acompanhar a procissão, segundo ele essa é uma tradição de mais de 20 anos. “Pedi que eu pudesse viver do meu próprio negócio e ha mais de 20 anos alcancei a graça e venho as procissões. Tenho minha própria empresa de suspensão de carros”, conta agradecido.

Nascida em Amaturá (), Maria do Carmo de 63 anos também é uma veterana nas procissões. Ela agradece pela saúde e especialmente pela família. “Quando eu era mais nova sonhava em ter três filhos e minha primeira filha veio a falecer ainda bebe. Depois fui abençoada com um casal de gêmeos, hoje estão com 36 anos, e mais tarde tive minha caçula, hoje ela estpa com 33 anos”, afirma.

Além de andar em toda a procissão sem o calçado, Marina Silveira, 74, disse que vai se vestir de vermelho durante todo o ano. “Minha filha, Carla Tomas, 32, sobreviveu a uma cirurgia que a sogra dela se submeteu e veio a falecer. Prometi vir a procissão de São Sebastião descalça e vou me vestir apenas de vemelho durante todo o ano”.

Publicidade
Publicidade