Publicidade
Manaus
250 mil afetados

Cerca de 250 mil pessoas ficarão sem água até terça-feira (19) na Zona Leste de Manaus

Bomba do Proama quebrou afetando do abastecimento de parte da zona mais populosa de Manaus, que recebe ação emergencial de caminhões-pipa da prefeitura. Amanhã (18), o Exército deve reforçar a ação 17/07/2016 às 19:21 - Atualizado em 18/07/2016 às 09:34
Show fdgdgdg
Foto: Antônio Lima / Arquivo AC
acritica.com* Manaus (AM)

Até a próxima terça-feira (19), cerca de 250 mil pessoas devem ficar sem água na Zona Leste de Manaus. A informação é da prefeitura, que está trabalhando para abastecer as áreas afetadas com caminhões-pipa. Sete carros fizeram, neste domingo (17), o abastecimento de água de famílias.

Na noite de sábado (16), o abastecimento interrompido após uma das bombas do sistema de captação de águas da Ponta das Lajes quebrar. O Programa Águas para Manaus (Proama) funciona no local.

“A Manaus Ambiental vai trabalhar com uma bomba aqui. Uma parte do sistema vai funcionar, não com a capacidade total, por isso, cerca de 250 mil pessoas vão ficar com o fornecimento comprometido. Os caminhões-pipa vão ser fundamentais para levar água até esses pontos atingidos”, informou Sérgio Elias, coordenador da Unidade Gestora da Água, da Prefeitura de Manaus (UGP Água).

A previsão, segundo a Manaus Ambiental, é de que o fornecimento de água na Zona Leste seja normalizado até terça-feira, 19. Na noite de sábado, 16, logo após a quebra da bomba, o prefeito Arthur Virgílio Neto esteve no local e cobrou da empresa concessionária agilidade no reparo.

Caminhões-pipa

Os caminhões-pipa atuaram no Grande Vitória, Nova Floresta e Nova Vitória. Cada veículo possui capacidade para levar 10 mil metros cúbicos de água. Ao longo de todo o dia, cada caminhão fez quatro viagens do Distrito Norte da Manaus Ambiental, na Noel Nutels, Zona Norte, até as famílias da Zna Leste que precisaram do abastecimento. A expectativa é de que nesta segunda-feira (18) mais carros-pipa juntem-se à ação, inclusive os do Exército Brasileiro.

O autônomo Moisés de Lima, 45, morador da rua Barreirinha, no Grande Vitória, disse que apesar do transtorno, o abastecimento de água pelos caminhões ajudará no desenvolvimento das atividades diárias. “Pelo menos eu sei que vamos conseguir fazer comida e tomar nossos banhos”, destacou.

“Vamos aguardar o compromisso da empresa de fazer o reparo necessário até terça-feira. Mas já sabemos que depois desse reparo, vamos poder contar até o final de agosto com uma terceira bomba, que está chegando, melhorando o sistema”, disse o prefeito.

Além dos caminhões-pipa, como uma das bombas que faz a captação de água na Ponta das Lajes está funcionando normalmente, parte do sistema vai continuar operando. Outra parte da água captada na Ponta do Ismael, no bairro Compensa, Zona Oeste da cidade, vai ser desviada pra atender moradores da Zona Leste, mesmo assim, 50% das residências abastecidas vão ter o fornecimento suspenso até a conclusão dos serviços.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade