Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
UNIÃO

Cerimônia no Complexo Penitenciário Anísio Jobim oficializa união de 23 casais

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizou o matrimônio na capela da unidade na manhã desta terça-feira (31)



1a93899c-6e58-4d91-8064-95281ae646b6.jpg Os noivos que participaram desta edição são de três unidades prisionais da capital: Compaj do regime fechado e semiaberto e do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) (Foto: Divulgação/Seap)
31/05/2016 às 18:45

Através do segundo casamento coletivo deste ano, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizou na manhã desta terça-feira (31), a cerimônia civil e religiosa que oficializou a união de 23 casais no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) localizada no km 8 da BR-174. A capela da unidade se tornou um ambiente repleto de romance e felicidade.Os noivos que participaram desta edição são de três unidades prisionais da capital: Compaj do regime fechado e semiaberto e do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat).

Para Ana Paula Soares, uma das noivas, o momento foi de emoção e a expectativa pela realização do sonho a deixou nervosa minutos antes do grande sim. “Estou confiante que nossa união vai dar certo. Tenho fé em Deus que quando ele sair daqui ele se tornará outra pessoa. Estamos com o plano de formar uma família, está programado um filho para quando ele sair. E eu tenho certeza que ele vai mudar, conversamos muito sobre isso e eu acredito que ele tenha força para isso”. O casal se conhece há 5 anos, e o interno está preso no Compaj há pouco mais de 2 anos.

Pedro Florencio, secretário da Seap, ressalta que o casamento é um resgate de cidadania para as pessoas privadas de liberdade. “O sistema penitenciário geralmente é um ambiente triste, e uma cerimônia como essa trás alegria e esperança a essas pessoas. Os casais iniciam aqui uma nova vida, firmando um compromisso com a família, diante da palavra de Deus. Esperamos que os internos tenham a maturidade de seguir um novo caminho a partir de hoje, para que não voltem a reincidir.”

As noivas tiveram sua preparação para o grande dia com profissionais do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), responsáveis em todas as edições do casamento coletivo pela maquiagem e penteados. A Umanizzare Gestão Prisional Privada, co-gestora das unidades do Compaj e Ipat, participou do evento com o coquetel disponibilizado aos casais, familiares e convidados.

O juiz da 4ª Vara de Família do Tjam, Luiz Cláudio Chaves, grande parceiro do projeto do Casamento Coletivo foi o responsável pela cerimônia civil. “A presença do poder judiciário no dia de hoje, é antes de tudo um gesto de apoio. Mais do que cumprir um mandamento constitucional e garantir a dignidade humana, esse ato contribui para que eles não voltem a cometer crimes. É papel do judiciário, auxiliar essas pessoas a superarem essa dificuldade”, declarou o juiz.

A Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), providenciou toda a documentação necessária no cartório para que os 23 casais pudessem realizar mais uma etapa em seus relacionamentos. Além disso, a Sejusc contribuiu com as alianças de tucumã e o material fotográfico que será disponibilizado em porta-retratos aos recém-casados. A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) presenteou os noivos com bíblias que foram utilizadas durante a cerimônia.  

A noiva Aparecida Zani, demonstra que o amor pode vencer barreiras e transformar as pessoas. “Eu amo o meu agora marido, e eu sei que Deus vai nos dar forças para superarmos tudo. Tenho fé que em breve ele vai ter a liberdade e juntos podemos iniciar um novo momento. Eu sou uma pessoa trabalhadora e honesta, e eu creio que ele vai mudar, vai seguir agora bons exemplos”.

*Com informações da assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.