Publicidade
Manaus
Manaus

Cesta básica: Mesmo com queda no preço, consumidor manauara intensifica pesquisa de preço

A reportagem foi às ruas e constatou que a oscilação de preço no valor dos alimentos faz com que os consumidores, cada vez mais, pesquisem os preços 10/08/2015 às 16:05
Show 1
Preço dos alimentos pode variar nas feiras e prateleiras dos mercados de Manaus
vanessa marques Manaus (AM)

O valor da cesta básica em Manaus teve uma redução de 3,27% no mês de julho, o que representa, em valores reais, uma baixa de R$ 11, 51 no custo da cesta. De acordo dom dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgados na última quinta-feira (06), a cesta básica da capital do Amazonas fechou julho custando R$ 340, 84 para o trabalhador manauara.

O MANAUS HOJE foi às ruas e constatou que a oscilação de preço no valor dos alimentos faz com que os consumidores, cada vez mais, pesquisem preços para escolher o melhor lugar para as compras: feira ou mercadinhos.

Na Feira Modelo da Compensa, Zona Oeste de Manaus, produtos industrializados como açúcar, café e feijão têm preços superiores aos dos mercadinhos do bairro. Enquanto o feijão custa R$ 3,19 no mercado, na feira o preço dele pode chegar até R$ 3, 90, o mesmo acontece com o café, que chega a custar R$ 1 mais caro na feira, que vende o produto a R$ 3, 70 enquanto nos mercadinhos pode-se encontrar a mesma marca custando R$ 2, 80.

A dona de casa Maria José Ferreira conta que já percebeu a diferença de preço e evita fazer as compras em um único lugar. “Faço uma lista do que devo comprar na feira e no mercado, que sempre tem promoção de alguns produtos”, conta.

O hábito de fazer duas listas, como a Mara José, acontece porque produtos regionais, frutas e legumes têm, em sua maioria, melhores preços na feira. A goma de tapioca, por exemplo, é vendida nos mercadinhos por até R$ 5. Já nas feiras o consumidor paga R $3, 50. A banana é outro produto que, se comprado na feira, é mais econômico para as donas de casa, nos mercadinhos ela é vendida por R$ 2, 60 e na feira R$ 2.

Para a comerciante Maria Joelza a diferença clara de preço ajuda a selecionar melhor os locais onde ela vai comprar os produtos para sua barraca de café da manhã.

“Goma e bananas eu só compro na feira, porque é muito mais barato, assim posso manter o preço dos produtos do meu comércio”, diz a comerciante que afirma não ter sentido a queda do custo da cesta básica no bolso: “Não vi essa redução toda não”, garante. 

Publicidade
Publicidade