Publicidade
Manaus
RELATO

Estudante de Manaus que errou horário do Enem lamenta comentários: "chorei demais"

Após vídeo de A CRÍTICA viralizar, jovem esquece críticas, diz que recebeu apoio de pessoas de outros Estados e mantém sonho da universidade pública 06/11/2017 às 17:11 - Atualizado em 06/11/2017 às 17:14
Show jovem
A estudante pretende estudar Ciências Biológicas (Foto: Arquivo Pessoal)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

O olhar de decepção da estudante Jaqueline Freitas, de 19 anos, após confundir o horário e perder a prova do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em Manaus, gerou repercussão nas redes sociais nesse domingo (5). A videorreportagem do Portal A Crítica, publicada neste domingo, viralizou e rendeu comentários negativos, mas também muito aprendizado.  A jovem, que pretende cursar Ciências Biológicas em uma das universidades públicas do Estado do Amazonas, contou para a reportagem o que sentiu ao descobrir que perdeu o exame por conta de um 'descuido'.

'Jack', como gosta de ser chamada pelos amigos, relatou que ficou assustada com todos os comentários maldosos que teve acesso nas redes sociais. Ela afirma que jamais imaginava que tinha se confundido com o horário da aplicação da prova.

"Chorei demais com tudo que aconteceu e fiquei muito assustada, porque encontrei muitos comentários maldosos. Não imaginei que tantas pessoas iriam ver aquele momento tão complicado para mim. Mas agora estou calma, estou levando na esportiva, no lado do humor", relata a estudante que está concluindo o terceiro ano do Ensino Médio.

Segundo a jovem, a confusão quanto o horário da aplicação das provas em Manaus foi provocada por outras séries de fatores. Um deles foi ela ter ficado doente dias antes da realização do Enem em todo o Brasil. 

"Eu não fiz a minha inscrição, porque fiquei doente e não podia sair de casa. A informação da diferença do horário acabou se distanciando de mim. Sabia o dia, mas não me atentei para o horário que constava no cartão de inscrição", explicou.

Reação nas redes sociais

Mesmo recebendo mensagens negativas, a estudante também destaca que muitas pessoas se sensibilizaram por ela ter perdido a prova. "Tenho recebido mensagens de pessoas de todo o Brasil. Eles me mandam mensagens e pedem para eu ter força. Não perdi as esperanças, porque ainda posso passar na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e pelo Processo Seletivo Contínuo (PSC)", disse.

Jaqueline também afirma que se incomodou com o julgamento das pessoas sobre o atraso "sem querer" para a prova nas redes sociais. "As pessoas ficaram me julgando e nem sabiam o motivo de tudo aquilo ter acontecido. Mas eu mesma pensei que poderia ter evitado tudo se tivesse prestado mais atenção. Agora estou levando na esportiva mesmo", relatou.

Com um tom descontraído, a estudante destacou que aprendeu a lição e acredita que o incidente ajudará outras pessoas a não cometerem o mesmo erro. "Aprendi com todo esse alvoroço, que preciso ter vergonha na cara. O meu sonho é estudar em uma universidade pública, porque sempre estudei em escolas do governo", concluiu a estudante. 

Publicidade
Publicidade