Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019
Manaus

Chuvas aumentam acúmulo de lixo na orla da Manaus Moderna

Ponto de embarque e desembarque na Zona Sul de Manaus, Manaus Moderna está tomada de lixo na beira do rio Negro, que voltou a encher aceleradamente



1.jpg Para vencer a coleta dos resíduos, prefeitura precisará intensificar o ritmo dos serviços, que não são vistos por lá
26/11/2013 às 10:39

O rio Negro voltou a subir há cerca de três semanas, mas lixo da orla da Manaus Moderna, na Zona Sul, jogado pelas embarcações e outras atividades que se realizam ali ainda permanece no local. Gente que trabalha na área se queixa da limpeza dos resíduos, que agora se desprendem da beirada com a chegada da enchente. “Nem me lembro mais qual foi a última vez que alguém da prefeitura veio aqui retirar o lixo”, disse Denis Soares Moreira, vigilante de uma embarcação.

De acordo com o secretário Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), Paulo Rocha Farias, o trabalho de remoção de lixo é permanente, mas que grande parte do lixo aquaviário existente no local é originário de outros cantos da cidade, como os do igarapé do São Raimundo. “O problema ficou mais grave agora por conta do período chuvoso. Com as chuvas fortes, o lixo é arrancado de outros lugares e acaba indo parar na área de embarque e desembarque da Manaus Moderna”, alertou o secretário.



O secretário disse também que os donos das embarcações são orientados sobre o destino correto dos resíduos sólidos. “Fazemos um trabalho permanente de limpeza e conscientização. Eles sabem onde ficam as caixas nos quais o lixo deve ser despejado”, ressaltou o secretário.

Mas de acordo com o projetista de arquitetura aposentado Erasmo Amazonas, a limpeza da orla começou há apenas três dias. “Começou recentemente, porém são poucas as pessoas que estão trabalhando para limpar o local. São apenas vinte. Não são suficientes para dar conta da orla da Manaus Moderna”.

Educandos
Há mais muito tempo o bairro Educandos sofre com o problema do lixo. Para o aposentado e membro do Instituto Amazônico da Cidade (Iaci), Toti Rodrigues, a ponte Padre Antonio Plácido de Souza, conhecida como ponte do Educandos, é um dos pontos mais precários. Para ele, a culpa não é só poder público, mas também da população.

“Três fatores podem ser considerados principais causadores dessa tonelada de lixo que pode ser observada no centro da cidade: a falta de educação da população, o respeito e o sentimento de gostar da cidade. Se quem mora na cidade, não gosta de onde vive, não vai ter interesse em cuidar dela”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.