Publicidade
Manaus
Fim do Recesso

Câmara Municipal retoma debate sobre o transporte público em Manaus

Mobilidade Urbana é um dos temas destacados por vereadores da CMM para segundo semestre do ano 10/07/2018 às 06:00 - Atualizado em 10/07/2018 às 07:13
Show cmm
Reajuste dos rodoviários e bilhetagem eletrônica estão entre os assuntos. Foto: Divulgação
Rebeca Almeida Manaus (AM)

Em recesso desde junho, a Câmara Municipal de Manaus (CMM) volta a debater as pautas previstas no primeiro semestre do ano. Temas como o reajuste salarial dos rodoviários, debates sobre o sistema de bilhetagem eletrônica, e esperada regulamentação dos serviços de transporte por aplicativos devem dominar as discussões na Casa a partir desta terça-feira (09).    

De acordo com o presidente da CMM, vereador Wilker Barreto (PHS), a prioridade é dar celeridade para a conclusão de projetos. “A CMM segue com ritmo que garanta a conclusão dos trabalhos com pautas zeradas e que priorize interesses da população”, disse, completando que tais demandas devem ser realizadas com a rapidez necessária, mas “sem açodamento”. Dentre as pautas a serem tratadas, Wilker ressaltou investimentos via governo federal e o transporte coletivo, afirmando que ambos “estão entre os temas importantes a serem consideradas pela Casa no segundo semestre deste ano”, enfatizou.

O vereador Chico Preto (PMN) também destacou a pauta do transporte público como “necessária” dentro dos debates na Câmara. “Nós já temos assuntos previstos para esse retorno até porque a cidade não parou. Para quem continuou trabalhando durante esse período, temos pautas, principalmente na questão do transporte público, sobre  o sistema da bilhetagem eletrônica que ainda não foi resolvido e que o  povo continua pagando”,  afirmou. Da mesma forma, o vereador do PMN também cobrou celeridade da prefeitura na entrega do projeto relacionado ao BRT (Bus Rapid Transit), outra alternativa do transporte público. 

“A bilhetagem e o BTR estão dentro do tema de  mobilidade urbana. Por exemplo, no caso do BRT, estamos esperando a prefeitura enviar o projeto, que já disseram estar pronto. Nós da CMM já pedimos para ser enviado e até agora nada”, concluiu Chico Preto relembrando também a pasta da saúde pública. 

Além do transporte, o presidente da Câmara destacou a Lei Orçamentária Anual (LOA) como  um dos assuntos a serem citados futuramente. Ele afirma que esta demanda deve chegar à Casa em outubro. Concluindo, Wilker Barreto afirmou:  “Nossa Casa segue mediando importantes temas com discussões iniciadas ainda no primeiro semestre e dará início a outras de interesse da população”. Apesar de enfatizar temas pontuais e a conclusão das demandas, ele afirma: “Seguiremos de portas abertas para quaisquer discussões trazidas à Casa”, disse.

Regulamentação dos Aplicativos

Assim como o transporte público, a regulamentação dos serviços de transporte por aplicativos como Uber e 99 segue sem avanços na Câmara. Em março, o presidente Michel Temer sancionou a lei que autoriza esse serviço no País, cabendo aos municípios detalhar a regulamentação. Desde então, a pauta permanece sem conclusão na Casa.

Em abril, o presidente da CMM, Wilker Barreto, afirmou  ao jornal A CRÍTICA que a regulamentação seria realizada no primeiro semestre do ano. “Até o fim do mês de maio o prefeito Artur Neto deve se pronunciar sobre o assunto e a regulamentação deve ser feita até junho”, disse na ocasião. Questionado novamente sobre o assunto, Barreto afirmou que a demanda está prevista para o retorno da CMM.

Sobre o processo, a vereadora Joana D’arc afirmou que a Prefeitura tem atrasado a regulamentação há mais de um ano. “Nós precisamos que o prefeito Artur se comprometa a fazer a regulamentação e a fiscalização. Queremos saber se ele vai cumprir e aqui eu pergunto da bancada de base do prefeito”, enfatizou.  

O representante da Prefeitura na CMM, vereador Joelson Silva, afirmou que “nesse meio tempo em que a regulamentação não é publicada, a Comissão da Casa mantém o acompanhamento de todo o processo, um vez que o Uber já atua na cidade de Manaus”, disse.

Publicidade
Publicidade