Publicidade
Manaus
Manaus

Cobrança de estacionamento em Manaus ganha regras

Ordenamento, contudo, poderá gerar um aumento no preço pago por cada 15 minutos do serviço 04/09/2013 às 07:49
Show 1
Estacionamentos terão, a partir de agora, de cobrar por cada período de 15 minutos, o que pode encarecer o serviço
Steffanie Schmidt ---

A nova lei que regula o funcionamento dos estacionamentos em Manaus poderá ter efeito contrário ao previsto e aumentar o preço cobrado pelo uso fracionado, em vez de diminuir, a partir de segunda-feira, quando entra em vigor. Isso porque, como o Município não tem poder de interferir na livre concorrência do mercado, os empresários podem cobrar o preço que quiserem por cada quarto de hora, o equivalente a 15 minutos.

“Corre-se o risco de ficar na mesma ou até de aumentar o valor cobrado atualmente”, afirmou o superintendente do Studio 5 Shopping, Diógenes Costa. Ele acredita que a concorrência entre os estabelecimentos vai ser responsável por balizar, naturalmente, o preço cobrado.

Segundo Costa, atualmente existem dados técnicos que comprovam que cobrar ou não o estacionamento não influencia no fluxo de pessoas dentro de shoppings centers. “O valor, no caso, pode ser o diferencial. Certamente haverão pacotes, promoções e cada um deve avaliar o melhor meio de superar os demais”, disse. Ele acrescentou ainda que os estabelecimentos comerciais do tipo poderão criar mecanismos para fazer com que o cliente permaneça no local e consuma mais.

O fato favorece os empresários em que o estacionamento não é a atividade final. No caso da empresa Green Valet, por exemplo, que administra as vagas de veículos no hospital Adventista, hotéis Blue Tree e Mercury, além do The Place Office, várias opções de pacote de serviços estão sendo criadas para que o cliente não sinta o impacto direto no bolso e, consequentemente, não pare de usufruir do serviço. “Optamos por colocar um valor cheio, como R$ 1 para cada 15 minutos para não termos problemas com o troco. Para aqueles que precisam ficar mais tempo, ofereceremos o pacote de três horas por R$ 5, o que pelo quarto de hora ficaria R$ 12”, explicou a representante da Green Valet, Anis Frugoli.

De acordo com o autor da lei, vereador Wilker Barreto (PHS), a oferta da carência, assim como o valor estipulado para cada 15 minutos é livre para os empresários. “O que a lei prevê é que a cobrança será feita a cada 15 minutos. Se você utilizou pouco mais de 30 minutos, por exemplo, vai pagar o 3º quarto de hora”, explicou. Segundo ele, a lei favorece 80% da população que utiliza estacionamentos em Manaus, uma vez que o perfil desse percentual é de consumo do serviço variando entre 1h e 1h30.

O representante do Central Park, Swami Araújo, afirmou que o estabelecimento não vai aumentar o valor. “Vamos apenas dividir o valor de quanto é cobrado hoje por quatro, ou seja, para cada 15 minutos”.

O prefeito Artur Neto afirmou, durante coletiva, que a medida vai favorecer o retorno dos consumidores ao Centro da cidade. 


Publicidade
Publicidade