Publicidade
Manaus
EDUCAÇÃO

Colégio Dom Bosco celebra 40 anos de sucesso dos Jogos Olímpicos Bosconianos

Tradicional instituição escolar realiza, anualmente, competição esportiva que movimenta não só os estudantes, mas também ex-alunos, colaboradores e toda a família salesiana 01/09/2018 às 15:58 - Atualizado em 02/09/2018 às 11:14
Show dombosco1 62e820d4 a1e9 47c6 9ccb 9e40d277c67b
Alunos competidores dos Jogos Olímpicos Bosconianos, tradicional evento que encerrou ontem / Fotos: Gilson Mello/Free Lancer
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Um dos eventos mais tradicionais do Colégio Dom Bosco, os Jogos Olímpicos Bosconianos (JOBs) estão completando 40 anos de sucesso. Desde sua criação, em 1978, pelas mãos dos padres idealizadores Augusto Bartoli e Oscar Romero Vigóia, a competição esportiva e cultural tem sido um momento de encontro entre as pessoas que fazem parte da comunidade educativa salesiana, por congregar alunos, professores, família, colaboradores e ex-alunos.

Neste ano, os JOBs foram realizados da última quarta-feira até ontem, com atividades na instituição  e no Colégio Militar de Manaus (CMM). O tema deste ano foi “40 anos de História no Esporte em Manaus”, homenageando a instituição ensino e relembrando Dom Bosco, que acreditou sempre no potencial sócioeducativo das atividades lúdicas voltadas para o âmbito do jogo, das artes cênicas, da música e dança, agregam à pessoa humana, sobretudo nos jovens, onde são trabalhados valores importantes para a sua vida. O encerramento teve a “Festa do Atleta” e o concurso de “Rei” e “Rainha do JOBs”.


Um dos momentos da final do basquetebol do 40º Jogos Bosconianos

Os Jogos são disputados entre alunos do ensino fundamental 2 a médio, mas a base esportiva vem de muito antes, quando o próprio João Bosco (1815-1888), padre e educador, criou nos oratórios, na Itália, competições esportivas entre os meninos que lá participavam com objetivo de integrá-los. Nos Jogos Olímpicos Bosconianos, o aluno é agente, protagonista de toda  as suas ações desde o momento da organização até o final.

Lembranças

Para os ex-alunos, os JOBs  são motivo de lembranças e memórias de um tempo de companheirismo esportivo e de solidariedade entre os competidores. “Estudei aqui de 1998 a 2003 e convivi no JOBs, e com a vivência esportiva decidi fazer Educação Física. E passei a conviver no outro modo, já como professor. E hoje completamos 40 anos de um evento que passa sempre muitos valores positivos para os alunos como solidariedade e amizade”, disse o professor de natação, Everton Cruz, 32. 

Hoje a direção do Colégio Dom Bosco é do padre Reginaldo Cordeiro, que tem como vice o padre Slawomir Drapiewski. A instituição tem 684 alunos. “Os JOBs são a culminância do nosso trabalho que vai além da sala de aula; falamos que é a formação integral, realmente, de ver a abrangência existente junto a alunos, professores, famílias e ex-alunos”, destacou  a diretora pedagógica Sandra Elaine Siqueira Corrêa. 

Ex-aluna, professora e esportista

Entre os ex-alunos, uma das mais atuantes no esporte local é a professora de Educação Física Rosane Moura, 25, que é jogadora de handebol e disputa o Campeonato Amazonense Adulto pelo HCM Handebol Clube. 

Ela disputou desde 2000, ainda no Jobinhos, e a partir de 2006 até 2010, no JOBs. “Eu jogava de tudo. Os JOBs nada mais é que a ideia de Dom Bosco em prática, de que o esporte auxilia na educação, na formação do cidadão, honestidade, lazer e recreação, também”, contou ela, que também é professora do colégio. 


Rosane Moura, 25, foi aluna do colégio e hoje em dia é professora da instituição e jogadora de handebol

Ela ressaltou que o primeiro JOBs dela foi marcante por toda a expectativa que havia após a disputa dos Jobinhos. Mas a emoção mesmo veio no último, já no 3º ano do ensino Médio, quando ela foi premiada como atleta destaque. “Foi emocionante e ganhei medalha”, relembrou. 

Felicidade de disputar a competição

Para os estudantes,  disputar os Jogos Olímpicos Bosconianos foi uma satisfação e motivo de muita alegria.  Gabriel Santana, 11, aluno do 6º ano, foi  medalha de ouro na categoria mirim do tênis de mesa na competição. “Eu passei um mês treinando com um amigo do meu pai e foi uma experiência muito boa. Consegui uma medalha  de ouro em um esporte que eu amo tanto que é o tênis de mesa”, comentou ele. 


Gabriel Santana: felicidade com medalha no tênis de mesa mirim

Já Maria Eduarda Teixeira Baía, 12, do 7º ano, ajudou sua equipe a conquistar a medalha de bronze no basquete. “Participar dos Jogos foi uma experiência bem legal porque foi o meu primeiro ano. Ganhar essa medalha foi emocionante para nós”, contou. 

Luiz Felipe Lima Bezerra, 12, do 7º ano, se destacou nas modalidades de queimada (ouro), futsal (prata) e basquete (bronze). “Gostei mais do respeito e da amizade, por que antes dos jogos nós cumprimentamos todos os participantes independente do resultado. Por isso estou muito orgulhoso de participar dos JOBs”, disse ele. 

Blog 

Padre Augusto Bartoli, um dos idealizadores do evento 

Os jogos trazem alguns lemas que lembro que foram usados: Esporte é Pátria, Esporte é Solidariedade, Esporte é Vida e Alegria; É Saúde Física e Espiritual; Esporte é Amizade; É Anticorrupção; é Construção de Justiça para Todos; Esporte é Cidadania, é viver Dom Bosco outra vez. Estes valores de vida são pilares para o nosso Brasil, hoje. Gritem essa alegria de serem brasileiros, de serem alunos do Colégio Dom Bosco. Lembrem que uma vez de Dom Bosco, sempre Dom Bosco. Sejam os grandes seguidores dos educadores. Dom Bosco mantenha alto em cada um de vocês o seu grande lema: Bons Cristãos e Honestos Cidadãos. Alunos educadores, sejam orgulhosos por celebrar os 40 anos do JOBs neste ano politicamente tão difícil para o Brasil, para os cidadãos do Brasil. Ótimos Jogos, muita alegria para vocês e um grande abraço".

Jobinhos

De 8 a 11 de outubro deste ano, na Semana da Criança,  acontece os Jobinhos, que são a competição do Dom Bosco destinada aos alunos do ensino fundamental 1, com disputas em esportes de quadra, natação e queimada.

Conquista na Polônia

A tocha olímpica do JOBs este ano foi conduzida pelo aluno Álvaro Augusto Barros Brandão, 14, que conquistou uma medalha de ouro nos Jogos Mundiais da Juventude Salesiana, na Polônia, em abril.


O aluno Álvaro Augusto Brandão, que conquistou ouro nos Jogos Mundiais da Juventude Salesiana, na Polônia, em abril, foi quem acendeu a pira olímpica na abertura dos Jogos neste ano (Foto: Divulgação)

Quase um século de tradição no ensino

Convidados pelo então Bispo de Manaus, Dom Irineu Joffily, no dia 24 de julho de 1921, chegaram os salesianos com a específica tarefa de iniciar as atividades do Colégio Dom Bosco. O primeiro diretor foi o Pe. Pedro Ghislandi. Nas precárias instalações do antigo prédio episcopal, começaram a funcionar, imediatamente, as primeiras séries do Curso Primário, e, no terreno baldio ao lado, o Oratório Festivo.

No ano de 1927, apesar de graves dificuldades financeiras, com a ajuda de várias famílias tradicionais da cidade, iniciou-se a construção do antigo prédio do Colégio Dom Bosco com a sua majestosa fachada do lado da avenida Epaminondas, no Centro de Manaus.

Contemporaneamente à construção nova, foi aberto o Curso Ginasial atendendo, no turno matutino e vespertino, os filhos da classe média da cidade; e, no noturno, gratuitamente, os filhos de operários.

No ano de 1925, começou o internato para os jovens do interior do Estado.

Em 1940, iniciou o Curso Científico e o Curso de Técnicos em Contabilidade, que formaram inúmeros profissionais ao longo dos anos.  No anos de 1959, fechou-se o internato por falta, principalmente, de pessoal salesiano e de ambientes adequados e suficientes para atender aos jovens internos.

Uma nova etapa da história do Colégio Dom Bosco teve início em  1971 com a matrícula das primeiras alunas, atendendo às pressões de vários pais que já tinham filhos neste estabelecimento de ensino. Na mesma época, em instalações muito precárias, mas sempre por insistência dos pais, abriu-se o Curso de Pré-Escolar.

Com a abertura da Zona Franca de Manaus e o forte crescimento da população manauara, aumentou sensivelmente o pedido de novas matrículas. Iniciou-se, então, a construção de um novo prédio escolar, que foi inaugurado no mês de agosto de 1976.

O prédio antigo entrou também em reforma e foi reativado com novos ambientes escolares no ano de 1985. O Arcebispo de Manaus, Dom Luís Soares Vieira, em 05 de fevereiro de 1993, dirigindo-se por carta à Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia, entidade mantenedora do Colégio, apresentou proposta de elevar o Colégio à Paróquia Pessoal para atender pastoralmente aos alunos, ex-alunos e suas famílias.


Fotos dos ex-alunos da instituição relembram momentos marcantes dos jogos (Fotos: Gilson Mello/Free Lancer/Reprodução)

Publicidade
Publicidade