Domingo, 19 de Maio de 2019
EDUCAÇÃO

Colégio Dom Bosco Centro visa prêmios aplicando Robótica em sala de aula

Em 2018 a escola conseguiu duas medalhas na Olimpíada Brasileira. Para este ano, expectativa é manter boa campanha e integrar disciplinas por meio da Robótica



dom_bosco_80A27F95-0ECC-444C-9C0F-5969BB7AA907.JPG
Foto: Arquivo/AC
18/01/2019 às 16:03

O conceito de misturar disciplinas para atingir resultados ainda melhores é uma meta do Colégio Dom Bosco Centro para 2019, seja pela novidade do Ensino em Tempo Integral ou pelo lançamento da modalidade Cambridge. Mantendo a responsabilidade, desde o ano passado, a instituição de ensino tem focado em lecionar Robótica dentro de sala de aula. O projeto já deu certo e colocou a escola num patamar premiado de competições nacionais.

No primeiro ano do projeto, o colégio conseguiu duas medalhas (ouro e bronze) na Olimpíada Brasileira de Robótica nas modalidades teórica e prática. Alunos tiveram a melhor equipe de programação e equipe de inovação. Para 2019, a expectativa é de novas medalhas e com estudantes ainda mais envolvidos na ferramenta.

De acordo com a diretora pedagógica Sandra Correa, a Robótica é passada para alunos do Ensino Infantil III até a 3ª série do Ensino Médio uma vez por semana. Todo o material didático é direcionado conforme o nível das 20 turmas.

“As aulas desenvolvem no aluno a capacidade de pensar e achar soluções aos desafios propostos. Incentiva o trabalho em grupo, a cooperação, planejamento, pesquisa, tomada de decisões, definição de ações, promove o diálogo e o respeito a diferentes opiniões. A atividade prática é realizada em grupo, desta forma é possível desenvolver habilidades interpessoais”, destacou.

Saindo do padrão

Mudar a dinâmica em sala deixando as linguagens exatas mais fáceis de compreender. Esses são apenas alguns dos resultados que a Robótica oferece no Colégio Dom Bosco Centro. Na realidade, o processo vai além de fugir do “anotem o que está na lousa”. O professor da disciplina, Ítalo Eliztoni, afirma que o ensino é uma forma de “quebrar” os padrões, fazendo os alunos saírem de um estado de abstração.

“A ideia é tirar a abstração da sala de aula. O aluno põe a mão na massa. Ele monta um protótipo, ele testa. O principal objetivo da Robótica no nosso laboratório é fazer com que ela seja uma ferramenta de aprendizagem. Através dela a gente ensina Ciências, Biologia, Matemática, Inglês, Português, o que for”, explica.

“Queremos quebrar aquela rotina que eles tinham antes do projeto, que era chegar, abrir o livro, assistir a aula, escutar explicação e fazer atividade no caderno. Na Robótica eles desenvolvem soluções. Esse é um dos principais objetivos”, acrescentou.

Profissões do futuro

A diretora da escola, Sandra Correia, destaca que o planejamento em torno da área visa uma preparação dos estudantes para o mercado de trabalho. A Robótica, como ferramenta de aprendizagem, oferece um ponto de partida para as chamadas “profissões do futuro”.

“A Robótica Educacional foi implantada no Colégio Dom Bosco Centro pensando realmente, nas profissões do futuro, conforme o que acompanhamos nas pesquisas sobre o tema. De acordo com algumas pesquisas, as habilidades interpessoais terão demanda elevada em todos os postos de trabalho e procuramos desenvolver com a robótica essas habilidades”.

Para o professor Ítalo, os frutos do trabalho vêm sendo colhidos. “Já conseguimos ver resultados gratificantes, como alunos se descobrindo nas áreas. Eles mudam o pensamento e têm a oportunidade de experimentar um pouco até para escolher aquilo para o futuro”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.