Publicidade
Manaus
CACHOEIRA ALTA

Colunas de espuma se formam no igarapé do Tarumã e denunciam poluição das águas

Segundo moradores, a espuma, provocada pela mistura de produtos químicos, surge durante a tarde. Lixo e resto de garrafas também são encontrados por toda a extensão do igarapé 04/09/2016 às 22:20
Show taruma
Espuma denuncia poluição do igarapé do Tarumã (Foto: Evandro Seixas)
Kelly Melo Manaus (AM)

Embora já tenha sido um dos balneários mais frequentados de Manaus, a situação da Cachoeira Baixa, no bairro Tarumã, na Zona Oeste, está cada vez pior. O nível de poluição é tão grande que colunas de espuma se formam por toda a extensão do igarapé do Tarumã.

O cenário entristece quem mora no local e quem já se banhou nessas águas, até a década de 1990, como o artesão Carlos Silva, 47.

De acordo com ele, normalmente e espuma fica mais espessa nos fins de tarde. “Eu acredito que é porque têm mais pessoas em casa e toda a água suja e esgoto  das comunidades das redondezas deságuam aqui. É muito triste ver isso”, afirmou ele.

O flagrante foi presenciado por A CRÍTICA na manhã de sábado e chamou a atenção pela quantidade de espuma, provavelmente proveniente da mistura de produtos químicos, que se formou por boa tarde do igarapé que corta o bairro Tarumã.

Para o artesão Carlos Silva, apesar dessa cena ser frequente para quem mora no local,  o descaso com o meio ambiente incomoda os moradores. “Quando eu era criança, brinquei muito nessa cachoeira. Ela era muito bonita e vinham pessoas de todas as partes da cidade. Agora está nessa condição, totalmente imprópria para o banho”, comentou  ele.

Além da espuma, muito lixo como resto de garrafas pet e outros resíduos são encontrados por todo o igarapé. O odor também é forte.

Esperança

Embora o problema seja antigo, lideranças comunitárias tentam, com a ajuda do poder público, recuperar as áreas degradadas do bairro, como as Cachoeiras Alta e Baixa. No entanto, o sonho ainda não começou a sair do papel.

Em abril, A CRÍTICA publicou o anseio dos moradores para que os espaços sejam recuperados e voltem a ser áreas de lazer para os manauenses.

Publicidade
Publicidade