Domingo, 26 de Maio de 2019
LEGADO

Com 1,6 mil alunos, Escola Sesi Francisco Garcia completa 25 anos de funcionamento

Colégio na Zona Sul oferece turmas desde o fraldário até o Ensino Fundamental I (5º ano). Aniversário conta com reinauguração do auditório e homenagens



SESI_F023FA0F-D73D-4BDD-8198-A70D85B900F1.JPG
Foto: Michell Mello
22/03/2019 às 21:36

Era com a proposta de levar comodidade aos pais e mães trabalhadores do Polo Industrial de Manaus que há  25 anos foi inaugurada a Escola do Serviço Social da Indústria (Sesi) Dr. Francisco Garcia, no Distrito Industrial I, Zona Sul. A inauguração da escola, em  1994, reforçou a atuação do Sesi em educação no Estado.

A cerimônia de aniversário, que comemorou duas décadas e meia da escola que marcou a trajetória de educação da Rede Sesi, aconteceu nessa sexta-feira (22). O momento foi marcado por homenagens e apresentações enaltecendo a cultura Amazônica, feitas pelos próprios alunos com a participação especial do Boi Bumbá Caprichoso.

Os participantes também comemoraram os 70 anos do Sesi no Estado. Na ocasião, o auditório foi reinaugurado e recebeu a placa com o nome de uma profissional que acompanhou praticamente toda a trajetória do Sesi no AM, a professora Lúcia de Fátima Barbosa Santos, que trabalhou durante 40 anos na instituição.

A gestora da Escola Sesi Dr. Francisco Garcia, Maria Acilda Cordeiro Santos, apontou a relevância da instituição localizada em um ponto estratégico para os filhos dos industriários e de toda comunidade amazonense.

“O objetivo de construir uma instituição próxima ao Distrito foi de garantir que os pais ficassem tranquilos em deixar seus filhos aqui e irem para seus trabalhos. A gente tem não só uma história de aprendizado, mas uma história de formação, educação e identidade com o Amazonas. Nós temos uma representação muito forte e somos referência  em educação”.

Metodologia

A escola conta com aproximadamente 1,6 mil alunos e tem como público-alvo crianças a partir de quatro meses de idade até os 10 anos, ou seja, desde o fraldário até o Ensino Fundamental I (5º ano).

Quanto à metodologia, o ensino vai além da sala de aula, como afirmou a Superintendente do SesiI Amazonas, Rosana Vasconcelos. “Aqui é um local cheio de energia, não é um lugar que a gente resume tão somente no processo educacional. É um espaço onde nossos profissionais se esforçam bastante para desenvolver as crianças dentro de todas as oportunidades possíveis, as cognitivas, as psicomotoras, a física e saúde”.

De acordo com ela, o ensino da da robótica também é o ponto forte da instituição, que pretende ensinar desde pequeno, as diferentes tecnologias. “Ao contrário do que as pessoas podem imaginar, desde o berçário até o ensino fundamental, eles já são induzidos a trabalhar com os conceitos de educação tecnológica. E nesse entremeio está a robótica, e isso tem sido desenvolvido por meio da tecnologia do lego, então é muito interessante isso para esse mundo em que as crianças hoje estão vivendo”, afirmou.

Entre a equipe pedagógica estão  multiprofissionais, como nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos, pediatra e odontopediatra. “Trabalhamos de forma muito integrada contemplando toda a transversalidade de conhecimento e também contemplando a integralidade do ser humano. ”, afirmou a psicóloga Deborah Damasceno.

Desativada

A Escola Sesi Dr. Francisco Garcia é a segunda instituição dentro do segmento infantil da rede de ensino. A  primeira foi desativada por conta da recessão econômica, como afirmou a superintendente Rosana Vasconcelos.

Pais e ex-alunos se emocionam

Ex-aluna da instituição, a finalista do curso de pedagogia, Isadora Zambin de 20 anos, contou suas memórias vividas na Escola SesiI Dr. Francisco Garcia. Apesar do tempo, ela relembra.

“Hoje (ontem), quando eu entrei, me emocionei bastante quando vi as crianças até porque hoje, enquanto quase pedagoga, eu sei a importância da escola na vida de uma criança e quanto o Sesi contribuiu na minha vida. Sou grata às pessoas que reencontrei, algumas que ainda são da minha época. Tenho muitas lembranças e o acesso à cultura é o que mais me recordo, por exemplo”, contou.

A mãe de uma aluna, a professora universitária, Aline Ribeiro, 31, fez questão de falar sobre a qualidade no ensino. “Ela está aqui há oito anos e tudo o que ela sabe, eu atribuo à escola. Ela aprendeu a andar, ela aprendeu a comer com talher aqui, todo o conhecimento dela como ser humano foi aqui”. Vale ressaltar que no ano passado,  o Serviço Social da Indústria – Sesi Amazonas, completou 70 anos de existência.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.