Publicidade
Manaus
Manaus

Com 11 anos de atraso Plano Diretor de Drenagem Urbana terá audiência pública, em Manaus

A criação do plano foi aprovada em 2002 e o documento deveria ser concluído em 2 anos. Pela falta de drenagem a cidade sofre com alagações durante chuvas 12/11/2015 às 13:13
Show 1
Culpa das alagações não é só do lixo, mas também da falta de planejamento para drenagens
Isabelle Valois Manaus

O Plano de Diretor de Drenagem Urbana (PDDU) de Manaus será tema de uma audiência pública a ser realizada nesta sexta-feira (13) no anfiteatro do Parque do Mindú, no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus.

A criação do plano foi aprovada em novembro de 2002, com um prazo de conclusão no máximo de dois anos. O documento está com 11 anos de atraso. Segundo o diretor-presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), Jaime Kuck, devido ao plano não existir efetivamente que Manaus passa, hoje, por sérios problemas com chuvas, quando as ruas ficam completamente alagadas, fora outros problemas ambientais gerados por falta do plano.

“Para que tenhamos uma cidade melhor, é necessário investirmos na drenagem. Tendo uma boa drenagem, não teremos outros problemas rotineiros. É possível notarmos os problemas que a falta deste plano tem nos acarretado, mas ainda não é tarde, porém é preciso ter um investimento”, explicou.

Conforme Kuck, Manaus não tem estações apropriadas nem para separar o que é drenagem de águas de esgoto da água pluvial. “A culpa das alagações não é somente dos lixos descartados de forma errada. Na verdade o problema é bem maior, implica diretamente na falta de planejamento urbano de anos”, disse.

A falta de conservação da rede de pavimentação, os problemas sérios com a drenagem do asfalto e as inundações são todos decorrentes da falta do plano de drenagem para Manaus. Para o diretor-presidente do CAU, a prefeitura precisa investir em projetos bem trabalhados e detalhados para a rede viária, infraestrutura do saneamento e rede de esgoto para que o plano de drenagem seja válido. “O investimento é alto, e o trabalho é complexo, mas é necessário”, reforçou.

Para participar da audiência pública, é necessário preencher um formulário da audiência pública disponibilizado no site da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf). Qualquer cidadão pode participar da audiência e também sugerir alterações para contribuir com a finalização do plano.

Publicidade
Publicidade