Domingo, 19 de Maio de 2019
Manaus

Com início das chuvas, famílias das áreas de risco mudam rotina para evitar desastres

Deslizamentos e alagações são as principais preocupações dos manauaras nesta época do ano, em que as chuvas não darão trégua segundo a meteorologia



1.jpg
Preocupação é redobrada neste período do ano
04/01/2016 às 09:40

Desde outubro, a meteorologia indicava chuvas abaixo da média para o último trimestre de 2015. Mas, as poucas chuvas que caíram sobre Manaus, principalmente, nas últimas semanas do ano passado, deixaram a população que vive às margens dos igarapés que cortam todas as zonas da capital preocupada com a subida do nível as águas.

Na Comunidade da Sharp, localizada no bairro Armando Mendes, Zona Leste, o período chuvoso causa diversos danos, por isso, alguns moradores da região já começaram a se preocupar com a mudança na rotina dos próximos meses, quando as chuvas devem se intensificar. É o caso de Rosivaldo Monteiro Rodrigues, 24, que mora na rua do Areal.

Ele está fazendo um rodapé de cimento na parte de trás da casa e também colocou um saco com areia na margem do igarapé para impedir que ele transborde com as chuvas e invada seu imóvel. “Vem água do Mauazinho, do São Tomé, do Distrito Industrial e o nível do igarapé sempre aumenta. Ainda bem que ainda não choveu forte como no ano passado”, disse.

A dona de casa Eulália Roberto Duarte, 25, que também mora às margens do igarapé da Sharp, contou que levantou o piso de sua casa duas vezes. No entanto, ela tem medo, toda vez que chove, de ter a residência alagada, como já teve em outras ocasiões. “Cheguei a dormir com meus filhos em cima de uma cama com água no assoalho de casa”, revelou.

Ela relatou que ficou muito preocupada com as chuvas da semana passada. Conforme ela, no último temporal quase a área em que ela mora foi inundada. “Vem muita água lá de cima, do São Tomé, e numa velocidade grande, tem duas escadas que parece cachoeira. Quando a chuva é à noite, durmo com medo que entre cobra dentro de casa”, afirmou.

Assoreamento Em outro ponto, o comerciante Jucinei Monteiro Magalhães, 38, disse que desde que fizeram serviços de drenagem no local nunca mais o igarapé transbordou, porém, como fazem uns dois anos desde a obra, o leito está ficando cada vez mais assoreado, o que preocupa os moradores da área. “Era preciso aprofundar mais o leito novamente, porque está baixo e qualquer chuva forte pode transbordar”, ressaltou.

Previsão

De acordo com as previsões climáticas, os primeiros dias de janeiro devem ser de muita chuva em Manaus. O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), prevê para os próximos dias, pancadas de chuva de curta duração, que podem ser acompanhada de trovoadas e ocorrer a qualquer hora do dia, com temperaturas variando de 23°C a 34°C. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para Manaus é de pancadas de chuva nos próximos cinco dias.

Tráfego mais perigoso com a chuva

Nas proximidades da rua Pista da Raquete, bairro Nova Vitória, Zona Leste, os moradores, que antes viviam preocupados com as chuvas que geralmente entupia bueiros, agora estão despreocupados em relação a alagamentos. É que desde que foram feitos serviços de infraestrutura nos igarapés do local, eles nunca mais transbordaram.

“Fizeram três enormes bueiros ao longo do igarapé que corta, de um lado a outro, a Pista da Raquete. E como são grandes, não correm perigo de ficarem entupidos como os de antes. Agora, a gente sempre se preocupa com a limpeza e a manutenção deles para evitar problemas futuros”, disse o metalúrgico Cals Moreira de Oliveira, 42.

O que tira o sossego das pessoas é o trânsito no local. A rua não tem nenhuma sinalização e, quando chove, o perigo é maior. “Aqui é passagem direta para o Distrito e, como a pista é larga, os motoristas passam em alta velocidade. Precisamos que haja sinalização e quebra-molas para inibir os acidentes”, apontou o vendedor Dimilson Francis Chavier, 43.

Contrato

A Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), informou que o igarapé da Sharp já tinha uma empresa contratada para execução de obras, mas esse contrato foi distratado em novembro e um novo processo de licitação foi iniciado imediatamente.

Obras

O edital de licitação para contratação de uma nova empresa para executar as obras deve ser publicado até o dia 10 de janeiro. A previsão é de que as obras iniciem em abril e que sejam concluídas até o 2º semestre de 2017.

Planos?

A reportagem entrou em contato com a Defesa Civil de Manaus para saber se o órgão tem um plano de contingência para a cheia deste ano ou estratégias para minimizar os impactos, mas até o fechamento não obteve resposta.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.