Publicidade
Manaus
no TCE

No 'topo' de lista, ex-secretário Robério Braga nega ter contas reprovadas no TCE

Segundo o TCE, Braga é um dos “campeões” da lista divulgada nesta segunda-feira (26) com 13 contas irregulares. "Desconheço esses fatos", declarou o ex-secretário de cultura 26/03/2018 às 18:53
Show roberio braga
Foto: Arquivo/AC
acritica.com Manaus (AM)

O ex-secretário de Cultura do Estado, Robério Braga, disse que desconhece contas de suas gestões que tenham transitado em julgado como reprovadas. Segundo o Tribunal de Contas do Estado (TCE), Braga é um dos “campeões” da lista divulgada nesta segunda-feira (26) com 13 contas irregulares.

Nesta segunda-feira (26), o ex-secretário encaminhou requerimento à presidente do TCE, conselheira Yara Lins, solicitando cópia do inteiro teor dos processos a que se refere o tribunal na divulgação da lista de contas reprovadas.

"Nunca fui notificado dessas decisões; ao contrário, compareci ao TCE e entreguei CDs com cópias das minhas contas de 2016 e 2017, exatamente para não ser beneficiado quando houve aquele sumiço de processos no tribunal. Sempre acompanhei os julgamentos e desconheço esses fatos", disse Robério Braga.

Ranking

Na lista de 1.381 gestores “ficha-suja” divulgada pelo TCE, dez nomes receberam destaque com os maiores números de reprovação. Na liderança estão os ex-secretários estaduais Robério Braga (cultura) e Eron Bezerra (produção rural) com 13 contas irregulares cada. Na sequência estão Gedeão Amorim, Wilson Colares, Regina Fernandes do Nascimento com 12 reprovações; Paulo Cesar Fontes, Raimundo Sampaio e Arlindo Junior com nove reprovações.

O documento foi entregue para o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e para o Ministério Público Federal (MPF). “Na lista constam 1.381 contas irregulares sendo 328 contas com decisão em trânsito julgado, não cabendo recurso. O tribunal sempre colaborou com a Justiça Eleitoral e na minha gestão não poderia ser diferente. O tribunal divulgará todo dia 25 de cada mês a atualização da lista das contas julgadas irregulares no site”, explicou a presidente do TCE-AM, conselheira Yara Lins.

Do total de 1.381 contas irregulares, 537 são contas sem recurso interposto, 516 contas com recurso sem efeito suspensivo ou recurso julgado pela manutenção da irregularidade e 328 contas irregulares cuja decisão é irrecorrível no TCE-AM.

Na lista consta nome de prefeitos, vice prefeitos, presidente de Câmara, presidente de associação, presidente de Fundo, Federação e Instituto, subsecretário, comandante e sub comandante, procurador e reitor.

Publicidade
Publicidade