Publicidade
Manaus
Manaus

Com problemas, hospital Francisca Mendes faz pacientes esperarem meses por cirurgia

Centenas de pessoas enfrentam diariamente as filas de espera e algumas acabam desistindo. Diretoria do hospital diz que o atendimento é normal 05/02/2016 às 13:52
Show 1
O aposentado Manoel Pereira, que já fez vários exames, não recebeu nenhuma informação sobre a data da cirurgia
Hellen Miranda Manaus (AM)

Seis meses é o tempo que o aposentado Manoel Marques Pereira, 72, está esperando na fila por uma cirurgia cardíaca, no Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), Zona Norte. De acordo com familiares, o aposentado já fez vários exames, mas nenhuma informação sobre a data da cirurgia é repassada.

“Ele já fez o de cateterismo aqui e chegamos a fazer um dos outros exames na rede privada pensando que isso agilizaria a cirurgia. No entanto, só nos pedem para aguardar e enquanto isso ele pode morrer a qualquer momento porque doença não espera”, desabafa a dona de casa Maria Cabral, 45, filha de Manoel.

Centenas de pessoas enfrentam diariamente as filas de espera e algumas acabam desistindo, como a funcionária pública Fátima Moraes, 51, que desde julho de 2015, aguardava a cirurgia cardíaca no hospital.

“Esperei por cinco meses para fazer uma ponte de safena, mas já estava muito debilitada e tive que viajar para realizar a cirurgia em outro estado pelo convênio particular. Moro próximo ao hospital e podia ter feito o procedimento aqui com o apoio da minha família e sem custo”, disse ela, que realizou a cirurgia há 40 dias, em Fortaleza.

Após cinco meses de espera, Fátima optou por fazer a safena fora de Manaus

De acordo com o diretor-geral do Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM), Ivan Tramujas da Costa e Silva, o atendimento para o procedimento cirúrgico dos pacientes vem sendo realizado normalmente.

“O paciente com cateterismo e estando na fila pelo Complexo Regulador, será internado para fazer a cirurgia normalmente. Hoje temos duas salas que vem recebendo os pacientes para serem operados”, explicou.

O diretor reforça que não houve suspensão nas internações no hospital em virtude da inoperabilidade do equipamento de hemodinâmica. Mas, o hospital só admitirá pacientes com indicação cirúrgica estabelecida por cateterismo realizado em outra instituição.

Conforme informações da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), a unidade possui mais três salas de cirurgias e ressalta que o fato de estarem sem uso no momento, não interferi na agenda de atendimento do hospital.

De acordo com a Susam, a estrutura é suficiente para atender a capacidade de realização de procedimentos, adequada tanto em termos de recursos humanos disponíveis quanto em número de leitos de UTI da unidade, para onde os pacientes são encaminhados após as cirurgias. Em relação à prioridade, os casos mais graves são os que têm precedência.

Em manutenção

A Fundação do Coração Francisca Mendes esclareceu que o aparelho está passando por manutenção em decorrência de problema em uma peça que já foi adquirida, com previsão para chegar em Manaus ainda esta semana. Em caráter emergencial, a Susam contratou serviços na rede privada.

No caso do ofício enviado, a Fundação ressaltou que a informação é direcionada à orientação com relação aos procedimentos de cateterismo, que estão sendo realizados no Prontocord e Beneficente Portuguesa.

De acordo com o órgão, até agora foram encaminhados diretamente pelo hospital 21 pacientes. A finalidade é de evitar que pacientes sejam internados e, posteriormente, a partir do Francisca Mendes, tenham que ser encaminhados ao serviço contratado.

Publicidade
Publicidade