Publicidade
Manaus
Manaus

Com R$ 500 mil em drogas, suspeito de matar testemunha do 'Caso Wallace' é preso

Homem foi preso com mais três suspeitos. Após troca de tiros com a polícia, um deles foi atingido por um disparo na perna e encaminhado ao Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto 19/05/2015 às 16:47
Show 1
A droga estava escondida em dois veículos. Com eles foi apreendido também um revólver calibre 38, com quatro munições intactas
Kamyla Gomes Manaus (AM)

Celson Alves dos Santos foi preso na manhã desta terça-feira (19) com 20 quilos de cocaína, avaliados em R$ 500 mil. Também foram presos outros três suspeitos identificados como Dione Souza Cruz, Aldenei Araújo da Costa e Moisés Silva, que integram a facção criminosa ‘FDN’.

O suspeito foi preso após cumprimento a mandado de prisão por um homicídio por conta de uma dívida de R$ 5 mil, ocorrido no dia 21 de fevereiro, de Mário Albuquerque Saboa, enteado do ex-policial militar Moacir Jorge da Costa, conhecido como “Môa”, que é acusado de integrar uma organização criminosa que era liderada pelo ex-deputado Wallace Souza (já faleciado).

A prisão do quarteto ocorreu em ação conjunta da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), com apoio dos integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) na rua Marquês de Quixeramobim, Conjunto Parque das Palmeiras, localizado no bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul de Manaus.

A droga estava escondida em dois veículos, uma van e uma livina, de placas não identificadas. Com eles, a polícia apreendeu também um revólver calibre 38.

Na ocasião, Moisés Silva reagiu a prisão e durante uma troca de tiros com a polícia, foi atingido por um disparo na perna e em seguida foi encaminhado para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, localizado na mesma zona da prisão.

Celson já havia sido preso este ano, no dia 22 de fevereiro. No dia 16 de abril, a desembargadora plantonista Encarnação Salgado expediu um alvará de soltura a favor dele. Após sete dias de liberdade, a decisão pela soltura foi revogada  e foi expedido outro mandado de prisão contra o homem.

A polícia suspeita que a quadrilha estavam distribuindo droga nas zonas Sul e Centro-Sul de Manaus, no momento em que ocorreu a prisão. Todos já tem passagem pela polícia.

O flagrante está sendo realizado no 12° Distrito Integrado de Polícia (DIP), e após os procedimentos cabíveis, os quatros serão encaminhados à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, Centro da capital, onde ficarão à Disposição da Justiça.  

Homicídio

Mário Sabóia foi morto na tarde do dia 21 de fevereiro, na rua Bela Vista, no Alvorada 2, na Zona Centro-Oeste da capital. Ele estava conversando com outros dois homens, quando Celson e outro homem identificado como Saul chegaram em um carro, modelo Celta. Celson desceu do veículo com uma arma em punho e começou a atirar.

‘Sabóia’ e o homem identificado como D’angelo, foram socorrido e encaminhados ao SPA do Alvorada. Vinte minutos depois, Mario foi a óbito.

Testemunha

Consta no site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), que Mário Sabóia era testemunha do processo do homicídio de Fabiano Souza de Oliveira e das tentativas de homicídio de Elaine Almeida dos Santos e Junio Melo Barbosa, do “Caso Wallace”. Mário também já respondia a processos pelo crime de tráfico de drogas.

Publicidade
Publicidade