Publicidade
Manaus
tranquilidade

Com reforço na segurança, clima nos presídios começa a voltar à normalidade

Movimentação neste sábado foi tranquila no entorno dos presídios; na cidade, PM destacou mil homens por turno para busca a fugitivos e patrulhamento 14/01/2017 às 13:07
Show clj.jr2 09
Força Nacional reforçou efetivo no entorno dos presídios (Foto: Jander Robson)
Joana Queiroz Manaus (AM)

Depois de duas semanas de turbulência, com mortes e fugas no sistema penitenciário, Manaus demonstrou estar voltando à normalidade. Até mesmo os familiares dos presos, que durante a semana passada causaram tumulto nas entradas que dão acesso aos presídios, tentando entregar alimentos e visitar seus parentes presos, não repetiram o clima de tensão neste sábado (14). “Até o momento ainda não registramos nenhuma alteração”, disse o novo titular da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), tenente-coronel Cleitman Coelho, na manhã deste sábado. 

No complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no Km 8 da BR-174, onde estão localizadas sete unidades prisionais, na entrada do ramal que dá acesso às cadeias, pessoas estiveram na região buscando acesso às prisões, mas foram impedidas por policiais da Força Nacional, que montaram barreira policial para controlar a entrada no ramal. O acesso só estava sendo liberado para viaturas da Polícia Militar e de funcionários do sistema de segurança pública. 

CONFIRA FOTOS DOS FUGITIVOS DO SISTEMA PENITENCIÁRIO

Na cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, na avenida 7 de Setembro, centro, houve a entrega de 300 colchões para os internos. A entrega foi acompanhada pelo secretário Cleitman Coelho, que deu um aviso aos internos. “Vamos manter a ordem dentro do que manda a lei”, disse. Do lado de fora da cadeia, poucos familiares foram levar alimentos. Estes foram atendidos por funcionários do sistema, que recolheram os alimentos para entregá-los aos presos. Grupos de evangélicos também foram à cadeia, porém não conseguiram a autorização para entrar. 

De acordo com informações da Seap, dentro das unidades o clima é de tranqüilidade, “sem alteração”. Conforme o secretário, todas as unidades estão sendo monitoradas e ele próprio está visitando as unidades para verificar in loco a situação dos presídios. 

A tranqüilidade não é apenas nas unidades prisionais. Manaus estava, até ao meio dia de sábado, há 36 horas sem registrar nenhum homicídio. O último ocorrido na noite de quinta-feira aconteceu na avenida Brasil, bairro São Jorge. O corpo da vítima deu entrada no Instituto Médico Legal (IML) por volta das 22h40.

A tranqüilidade está sendo atribuída ao efetivo reforçado das polícias que estão nas ruas na “caça” aos fugitivos que escaparam do Instituto Penal Antônio Trindade (IPAT) e do regime fechado do Compaj no dia 1º deste mês. De acordo com o subcomandante da Polícia Militar, coronel Euler Cordeiro, mais de 1.000 homens estão nas ruas por turno, além dos grupos especiais da Polícia Civil.

Publicidade
Publicidade