Publicidade
Manaus
Manaus

Com seis meses de atraso, deputado do AM faz cadastro biométrico do título de eleitor

Parlamentar teve o pedido de registro de candidatura negado pelo TRE/AM porque "esqueceu" de fazer o cadastro obrigatório 14/11/2014 às 12:26
Show 1
Nessa semana, Francisco Souza fez o cadastramento biométrico em Iranduba: “Cumpri meu dever de cidadão"
acritica.com Manaus

Seis meses depois de encerrado o prazo para o cadastro biométrico do título de eleitor, o deputado estadual amazonense Francisco Souza (PSC), enfim, fez a inscrição de suas digitais na Justiça Eleitoral e regularizou o documento. Na eleição deste ano, o parlamentar, que tentava a reeleição, não pôde votar em si mesmo.

Souza teve o pedido de registro de candidatura negado por unanimidade pela pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) porque “esqueceu” de fazer o cadastro obrigatório e, por isso, teve a inscrição eleitoral cancelada. Ele é eleitor do município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus).

Agora, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o deputado move recurso para validar o registro de candidatura. Na eleição deste ano, ele obteve 19.938 votos. A votação lhe garante a reeleição, mas, em virtude do problema, ele pode não assumir a vaga, já que enquanto tentava a reeleição, estava em dívida com suas obrigações eleitorais.

A Constituição Federal, no artigo 14, lista entre as condições de elegibilidade a nacionalidade brasileira, o pleno exercício dos direitos políticos, o alistamento eleitoral, o domicílio eleitoral na circunscrição e a filiação partidária.

“O título eleitoral dele foi cancelado. Se ele não tem o documento recomendado, ele não tem domicílio eleitoral, que é uma das condições de elegibilidade, portanto, Francisco Souza não pode concorrer ao cargo almejado”, comentou Ageu Florêncio, procurador regional do Ministério Público Eleitoral (MPE-AM), em declaração anterior,

Na última terça-feira (11), Francisco Souza, que é líder do Partido Social Cristão na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE/AM), fez o cadastramento biométrico em Iranduba.

“Cumpri meu dever de cidadão, regularizei o meu título e agora estou quite (sic) com a justiça eleitoral”, divulgou o parlamentar. Iranduba foi um dos sete municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM) que utilizaram o voto biométrico nas eleições deste ano.

Seis meses depois deencerrado o prazo para o cadastro biométrico do título de eleitor, o deputadoestadual amazonense Francisco Souza (PSC), enfim, fez a inscrição de suas digitaisna Justiça Eleitoral e regularizou o documento. Na eleição deste ano, oparlamentar, que tentava a reeleição, não pôde votar em si mesmo.

Souza teve opedido de registro de candidatura negado por unanimidade pela pelo TribunalRegional Eleitoral (TRE-AM) porque “esqueceu” de fazer o cadastro obrigatórioe, por isso, teve a inscrição eleitoral cancelada. Ele é eleitor do municípiode Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus).

Agora, junto ao TribunalSuperior Eleitoral (TSE), o deputado move recurso para validar o registro decandidatura. Na eleição deste ano, ele obteve 19.938 votos. A votação lhegarante a reeleição, mas, em virtude do problema, ele pode não assumir a vaga,já que enquanto tentava a reeleição, estava em dívida com suas obrigaçõeseleitorais.

A Constituição Federal, noartigo 14, lista entre as condições de elegibilidade a nacionalidadebrasileira, o pleno exercício dos direitos políticos, o alistamento eleitoral,o domicílio eleitoral na circunscrição e a filiação partidária.

“Otítulo eleitoral dele foi cancelado. Se ele não tem o documento recomendado,ele não tem domicílio eleitoral, que é uma das condições de elegibilidade,portanto, Francisco Souza não pode concorrer ao cargo almejado”, comentou AgeuFlorêncio, procurador regional do Ministério Público Eleitoral (MPE-AM), emdeclaração anterior,

Naúltima terça-feira (11), Francisco Souza, que é líder do Partido Social Cristãona Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE/AM), fez o cadastramentobiométrico em Iranduba.

“Cumprimeu dever de cidadão, regularizei o meu título e agora estou quite (sic) com ajustiça eleitoral”, divulgou o parlamentar. Irandubafoi um dos sete municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM) que utilizaramo voto biométrico nas eleições deste ano.

Publicidade
Publicidade