Publicidade
Manaus
Manaus

Comerciantes da Compensa vivem trancados por medo de assaltos

Devido à grande quantidade de assaltos, os comerciantes tem medo de se identificar e sofrer novos roubos seguidos de represálias 09/12/2014 às 11:18
Show 1
A única alternativa para os comerciantes é manter seus estabelecimentos de portas trancadas, afastando a clientela
Girlene Medeiros ---

A avenida do Ipase, no bairro Compensa, Zona Oeste, está sendo um “prato cheio” para os bandidos da área. O alvo é a área comercial da via e os comerciantes são as principais vítimas dos criminosos. O dono de restaurante que atua há 30 anos na avenida relatou ter sido assaltado pelo menos 17 vezes. Na última segunda-feira uma lan house foi assaltada pela 16ª vez. Para a Polícia Militar, a principal dificuldade é convencer a população a denunciar.

Devido à grande quantidade de assaltos, os comerciantes tem medo de se identificar e sofrer novos roubos seguidos de represálias. Há dois meses, Ricardo Gomes*, 53, conseguiu escapar de um grande roubo. Em dez minutos dois homens chegaram em um táxi perguntando pelo proprietário e levaram objetos pessoais das cozinheiras. O assalto aconteceu por volta de 9h30 e o empresário do estabelecimento conseguiu escapar porque ainda não tinha chegado ao local.

Segundo o comerciante, os bandidos perguntavam por ele e sabiam o horário que ele repassava grande quantidade de dinheiro para as distribuidoras que fornecem bebidas ao restaurante. Ricardo admitiu ter procurado a polícia para registrar os primeiros três assaltos. Os outros 14 roubos não foram registrados.

O proprietário se disse desacreditado na atuação da polícia em prender assaltantes. “A gente chama a polícia e eles vêm, mas nunca tive meus objetos devolvidos e os assaltantes nunca foram presos. Não vou perder o meu tempo registrando outros assaltos”, afirmou.

Situação parecida viveu Fabrícia Silva*, 42, dona de um pet shop na mesma avenida. A mulher viveu momentos de desespero quando, há duas semanas, um homem entrou se passando por cliente e levou a renda do dia. A comerciante adotou estratégias para diminuir os impactos durante os assaltos que ela espera que vão acontecer. “Se a gente der um pouquinho de dinheiro para o ladrão é bem capaz dele ficar com raiva e podemos levar um tiro. Então, a gente procura sempre deixar uma quantia a mais. Tudo isso é medo”, disse a comerciante que resolveu munir o pet shop com circuito interno de câmeras de segurança.

Na última segunda-feira, uma lan house e banca de revistas foi assaltada pela 16ª vez. A ocorrência não havia sido registrada até o fechamento desta edição. Um antigo dono do local sofreu com os 13 primeiros assaltos e vendeu o ponto comercial para o atual proprietário que já é vítima de três roubos. Na ocasião, os clientes deitaram no chão e entregaram carteiras e celulares para o ladrão.

Assaltada 16 vezes

No dia 1º de dezembro, um homem invadiu uma lan house, na rua Ipasa, na Compensa, Zona Oeste e o criminoso roubou dinheiro do estabelecimento. Cinco pessoas estavam no local e o caso não foi registrado em algum DIP. O crime foi filmado pelas câmeras do circuito interno de segurança da lan house. Um homem armado entrou no local portando uma arma de fogo. Ao adentrar no estabelecimento, ele apontou o revólver para os cinco clientes que estavam no local por volta de 13h.

Polícia pede informação

O comandante da 8ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), major Wilton Marques, afirmou que soube do assalto à lan house pela imprensa e ressaltou a importância das denúncias. “Se não sabemos, não temos como agir. As viaturas atuam e sabemos que na época de fim de ano os assaltos aumentam, mas é necessário denunciar”, afirmou o major.

*Nomes fictícios para preservar a identidade

Publicidade
Publicidade