Publicidade
Manaus
Manaus

Comissão de auditoria vai analisar contas e documentos da Manaus Ambiental

O prefeito de Manaus Artur Neto autorizou na manhã desta quarta-feira (27) uma completa "varredura" em documentos, contas, contratos e equipamentos da empresa responsável pelos sistema de abastecimento de água e esgotamento sanitário em Manaus 27/03/2013 às 14:39
Show 1
Artur ordenou que uma comissão analise as contas e documentos da Manaus Ambiental
JOELMA MUNIZ Manaus (AM)

Em um prazo de 15 dias a Prefeitura de Manaus instalará uma Comissão de Sindicância para apurar as condições do sistema de abastecimento de água na cidade. O anuncio foi feito pelo prefeito Artur Neto na manhã desta quarta-feira (27).

A Comissão terá como gestor o engenheiro Elias Ramos, que junto com técnicos da Prefeitura e Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam) ‘vasculharão’ as contas, contratos e equipamentos da concessionária.

“Iremos apresentar um ofício de notificação para a Manaus ambiental, porque dentro de 15 dias uma comissão de auditores vai entrar na empresa e vai ter acessos a documentos para descobrir a real situação da empresa. Vai ser uma fiscalização rigorosa, nas contas e contratos da empresa”, afirmou o prefeito.

O resultado inquirição deve ser conhecido em um prazo de 60 dias. No laudo segundo Artur, os técnicos devem revelar as deficiências do serviço prestado pela Manaus Ambiental e expedir sugestões que servirão para embasar a Prefeitura sobre romper ou não o contrato firmado com a empresa até o ano de 2045.

Artur Neto disse que esse significa o primeiro passo jurídico rumo à melhoria do sistema. “A implantação da Comissão foi um decisão pensada, não queremos ser ditadores, mas precisamos de uma resposta rápida à sociedade que sofre com o serviço precário oferecido pela Manaus Ambiental”, ressaltou.

De acordo com o procurador Geral do Município Marcos Cavalcante, por não cumprir com as normas do contrato a Manaus Ambiental pode pagar multa que chega a casa de R$ 10 milhões. O ofício de notificação será entregue aos representantes da Manaus Ambiental ainda na tarde desta quarta-feira.

Rompimento de adutoras foi o estopim


Só este ano já aconteceram quatro rompimentos de adutoras, com prejuízos materiais, além do corte no abastecimento de água para grande parte da população. Na semana passada foram duas ocorrências, uma na avenida Coronel Teixeira, na quinta-feira, 21, que deixou mais de 400 mil pessoas sem água por mais de 24 horas; e outra na rua das Flores, Compensa, cuja adutora voltou a romper na noite de sábado, 23.

Unidade Gestora

Durante a coletiva, Artur Neto disse que implantará uma Unidade Gestora da Água em Manaus, que funcionará para coordenar todos os assuntos ligados aos sistemas de abastecimento de água e esgotamento na cidade.

“Os detalhes sobre a implantação da Unidade serão repassados em abril que é quando divulgaremos nosso plano de Reforma Administrativa”, prometeu Artur Neto.

Publicidade
Publicidade