Publicidade
Manaus
Manaus

Como controlar as compras

Para marcar a passagem do Dia Mundial do Consumidor na próxima sexta-feira (15), especialistas dão dicas para equilibrar as contas e comprar só o necessário 09/03/2013 às 20:27
Show 1
Planejar as finanças e disciplinar os gastos são hábitos que ajudam o consumidor a comprar com responsabilidade
Priscila Mesquita Manaus (AM)

Ao contrário do que muitos pensam, ter dinheiro no bolso não é o que define se você é um bom consumidor. Mais importantes do que a quantidade de cédulas que se tem, as palavras planejamento, equilíbrio, poupança e aposentadoria são decisivas para a prática de um consumo controlado e consciente.

 Para a coordenadora do Investmania (site que possibilita a interação entre investidores e profissionais especializados), Aline Rabelo, planejar é a medida mais importante na vida de um consumidor equilibrado.

“Quem deseja fazer aquisições deve planejar-se para gastar, assim não prejudica o orçamento atual e os compromissos futuros. O ideal é que o consumidor consiga poupar todo o valor do produto ou serviço que almeja para depois barganhar preço e obter bons descontos no pagamento a vista”, recomenda.  

A executiva ressalta que o consumo consciente beneficia inclusive o bem-estar do indivíduo, porque ratifica que a pessoa está conseguindo realizar os seus sonhos e objetivos sem sacrificar as finanças e os relacionamentos familiares.

“O equilíbrio psicológico está intrinsecamente ligado ao equilíbro do orçamento. No mundo moderno, a sobrevivência e a garantia de uma aposentadoria digna só são possíveis mediante a administração responsável do dinheiro durante toda uma vida”, explica.

Aline listou os “dez mandamentos” para desenvolver hábitos saudáveis de consumo (ver pontos). O primeiro deles é: “Nunca exceda a sua renda mensal com consumo”.


Muita disciplina
Segundo o diretor de marketing da financeira Sorocred, Wilson Justo, disciplina e organização são os atributos mais importantes para um consumidor controlado e que pensa no futuro.

Justo observa que o primeiro passo da organização é fazer um controle rígido do orçamento, com os itens separados em categorias (receitas, despesas, investimentos). Depois disso, o especialista recomenda o corte do que é supérfluo. “Comece a pensar na aposentadoria ainda enquanto estiver em plenas condições de exercer atividades profissionais. Compre o necessário e poupe, mesmo que uma pequena parcela do salário”.
 
De acordo com o diretor de marketing, o ideal é que 30% da renda mensal sejam direcionados para uma poupança. Aline Rabelo acrescenta que a reserva de 30% do salário líquido deve ser aplicada também em outras modalidades de investimento. “Pensar em como será sua qualidade de vida no futuro é um bom exercício”, diz Aline.


 

Publicidade
Publicidade