Publicidade
Manaus
Manaus

Complexo Viário Gilberto Mestrinho, em Manaus, ganhará duas alças de retorno

Obra busca reduzir em 15% volume de veículos na rotatória que, no horário de pico, é utilizada por mais de 12 mil carros por hora 12/08/2015 às 12:52
Show 1
O projeto das alças foi elaborado pelo Manaustrans e será executado pela Seminf
ACRITICA.COM ---

O Complexo Viário Gilberto Mestrinho, no Coroado, Zona Leste de Manaus, ganhará duas alças de retorno destinadas aos motoristas que trafegam nas avenidas General Rodrigo Otávio e Ephigênio Sales. A obra da Prefeitura de Manaus começa nesta terça-feira (11) e busca reduzir em 15% o volume de veículos na rotatória que, no horário de pico, é utilizada por mais de 12 mil carros por hora.

O projeto das alças foi elaborado pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) e será executado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), via administração direta.  A circulação nas novas alças será permitida apenas para veículos de pequeno porte. Veículos pesados não poderão circular nos retornos e terão que contornar a rotatória.

Com a intervenção, os motoristas que estiverem na Avenida Ephigênio Sales, no sentido Parque 10/Coroado terão a opção de retornar em direção ao Parque 10 sem a necessidade de entrar na rotatória. O novo acesso vai facilitar, inclusive, a entrada de veículos da Ephigênio Sales em direção à Avenida Governador José Lindoso (Avenida das Torres).

“Vamos margear o pé do viaduto com uma nova pista no sentido contra fluxo e dar opção àqueles condutores que queiram retornar para a Ephigênio Sales sem a necessidade de circular toda a rotatória do Coroado”, explicou o titular da Seminf, Alexandre Morais.

A outra intervenção vai facilitar o trânsito para os condutores que estiverem na Avenida General Rodrigo Otávio, no sentido Japiim/Coroado. Os motoristas que desejarem retornar no sentido Japiim poderão fazer o retorno no pé do viaduto, sem circular toda a rotatória.


O diretor presidente do Manaustrans, Paulo Henrique Martins, acrescentou que o projeto não vai reduzir a capacidade de circulação na rotatória, que permanecerá com três faixas. “A fluidez da rotatória vai melhorar porque a quantidade de veículos será distribuída entre as alças. É uma medida que proporciona mais segurança para quem trafega no complexo viário”, destacou.

Ampliação da faixa

O projeto também contempla o alargamento de 1,20 metros da faixa à direita para quem sai da Alameda Cosme Ferreira em direção às Avenida Ephigênio Sales ou Governador José Lindoso. A proposta desta intervenção é desafogar os gargalos existentes naquela área, principalmente em horários de maior movimento, que estão entre 6h e 9h da manhã e 17h e 20h. Uma nova calçada será construída após o alargamento da faixa.

Os trabalhos iniciam na noite desta terça-feira e serão executados durante a madrugada para evitar transtornos no trânsito e deverão ser finalizados em 30 dias. “Essa será uma importante mudança para o sistema viário, pois quando o viaduto foi entregue ele não permitia todos esses movimentos”, destacou Morais.

Recapeamento

Além da intervenção viária, a Seminf está trabalhando na recuperação de toda a pavimentação da rotatória. O processo de recuperação asfáltica começou no dia 3 deste mês, após estudo do órgão que detectou um problema no pavimento, caracterizado como cisalhamento -  deformação das rochas em zonas tensionadas que sofrem pressão dirigida, levando à ruptura e deformações texturais e estruturais com deslocamentos – conhecidas como desníveis.

Diante do quadro, a Seminf começou uma análise de sondagem para detectar o índice de resistência da base, cujo resultado ficou bem abaixo do normal, apresentando apenas 18% de resistência, enquanto a porcentagem perfeita seria entre 40% a 60%.

Para resolver o problema, a secretaria municipal iniciou imediatamente a retirada da camada asfáltica antiga, através do serviço de fresagem, e em seguida será executada a reciclagem do restante deste asfalto com a base.

Depois de compactada, será instalada uma capa de Concreto Asfáltico Usinado a Quente (CBUQ), que é um dos tipos de revestimentos asfálticos mais utilizados nas vias urbanas e rodovias brasileiras. O recapeamento terá dez centímetros de espessura e serão usadas 2.380 toneladas de massa asfáltica para recapear aproximadamente 9.400 m².

As oito pistas que formam o início – aproximadamente 15 metros – do encabeçamento das alças viárias da Rodrigo Otávio, Cosme Ferreira, André Araújo e Darcy Vargas também serão recapeadas após a finalização dos trabalhos na rotatória.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade