Publicidade
Manaus
Manaus

Complexo Viário Gilberto Mestrinho ganha mais fluidez com alças de retorno

A estimativa do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) é reduzir em até 23% a circulação de veículos na rotatória 03/02/2016 às 18:50
Show 1
Antes o fluxo na rotatória era de 12 mil veículos por hora durante o rush, que vai de 6h às 8h e das 17h às 19h
Acritica.com Manaus (AM)

A Prefeitura de Manaus liberou, nesta quarta-feira (3), o acesso a duas novas alças de retorno construídas no Complexo Viário Gilberto Mestrinho. Com quatro alças em pleno funcionamento, o complexo ganha mais fluidez e a estimativa do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) é reduzir em até 23% a circulação de veículos na rotatória.

“São pequenas intervenções, mas que trazem grandes melhorias para o dia a dia da cidade. Como essas, estamos estudando outras duas intervenções na bola da Suframa e na bola do Produtor que também vão aliviar muito o fluxo de veículos na região”, destacou o prefeito Arthur Virgílio Neto ao liberar o acesso aos motoristas que trafegavam pelo local. 

De acordo com o Manaustrans, o tráfego nas alças é permitido apenas para veículos de pequeno porte

Agora, os motoristas que estiverem na alameda Cosme Ferreira no sentido São José/Coroado terão a opção de retornar em direção ao São José sem precisar entrar na rotatória. Já os motoristas que estiverem na avenida André Araújo, no sentido Aleixo/Coroado e desejarem retornar no sentido do bairro Aleixo poderão fazer o retorno no pé do viaduto (passagem de nível), sem circular por toda a rotatória.

“No ano passado já criamos duas alças de retorno que dão acesso para as avenidas Ephigênio Sales e Rodrigo Otávio e já conseguimos a redução de 15% do fluxo de veículos na rotatória, aproximadamente, 1.800 veículos. Com essas duas novas aberturas, nossa expectativa é que o volume de veículos reduza em mais 8%, ou seja, cerca 800 veículos a menos por hora de pico”, explicou Eudes Albuquerque, diretor-presidente do Manaustrans.

Antes o fluxo na rotatória era de 12 mil veículos por hora durante o rush, que vai de 6h às 8h e das 17h às 19h. 

Melhorias

Além das alças, a Secretaria Municipal de Infraestrtutura (Seminf), também ampliou uma faixa e realizou a manutenção da rede de drenagem e a construção de novas calçadas. A faixa à direita para quem sai da alameda Cosme Ferreira em direção às avenida Ephigênio Sales ou Governador José Lindoso foi alargada em 1,20 metro. Nesse mesmo trecho, uma nova rede de drenagem com 280 metros foi instalada, substituindo a antiga que apresentava desgaste.

Calçadas foram construídas, também, no entorno das alças para garantir a travessia segura dos pedestres, além da implantação de rampas de acesso para cadeirantes. O complexo conta, ainda, com faixas de pedestres em cada alça de retorno, e quatro delimitadores - estruturas metálicas com a função de limitar a passagem de veículos com mais de 2,5 metros de altura. Sinalização vertical com placas indicativas para o retorno e pinturas horizontais de redução de velocidade e parada obrigatória também compõe as melhorias realizadas no Complexo.

Tráfego

De acordo com o Manaustrans, o tráfego nas alças é permitido apenas para veículos de pequeno porte – ciclomotor, motoneta, motocicleta, triciclo, automóvel utilitário, caminhonete e camioneta. Veículos pesados – ônibus, micro-ônibus, caminhão, caminhão-trator, trator de rodas, trator misto, chassi-plataforma, motor-casa, reboque ou semireboque e suas combinações – não poderão circular nos retornos e terão que contornar a rotatória. Os veículos pesados e leves são classificados de acordo com resolução 240/2010 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Publicidade
Publicidade