Publicidade
Manaus
ARGUMENTOS DISTINTOS

Condenação do ex-presidente Lula em 2ª instância divide opiniões em Manaus

O deputado estadual José Ricardo (PT) acredita que há uma perseguição contra o ex-presidente. Já o vereador Plínio Valério (PSDB) defende o ponto de vista de que a “Justiça foi feita” 24/01/2018 às 19:05
Show dois 123
Deputado José Ricardo (à esquerda) e o vereador Plínio Valério. Foto: Arquivo AC
Camila Pereira Manaus (AM)

A decisão da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região pela manutenção da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no caso do triplex no Guarujá, em São Paulo, dividiu opiniões de pessoas ouvidas por A Crítica.

Nesta quarta-feira (24), ao julgar o recurso, os desembargadores do TRF-4 entenderam que a sentença aplicada pelo juiz Sérgio Moro é válida. No entanto, aumentaram a pena do ex-presidente de 9 anos e meio para 12 anos e 1 mês em regime fechado, como pedido pelo Ministério Público Federal (MPF).

O deputado estadual José Ricardo (PT), que esteve presente na manifestação ocorrida na manhã de hoje em frente à sede da Justiça Federal, no bairro Aleixo, na Centro-Sul, afirmou que há uma perseguição contra o ex-presidente.

“Há toda uma prioridade para julgar Lula. Pararam tudo para ver o do Lula. Ninguém mais acredita que há imparcialidade neste processo. Não é combate à corrupção, já que praticamente todos os delatores da Lava-Jato estão soltos. É uma perseguição para impedir que o governo seja eleito novamente”, afirmou.

Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores no Amazonas (CUT-AM), Valdemir Santana, o resultado do julgamento não foi uma novidade. “Os próprios desembargadores já tinham publicizado isso, sem antes ver o processo. É um negócio vergonhoso para o poder judiciário no Brasil”, avaliou.

Já o vereador Plínio Valério (PSDB) defendeu o ponto de vista de que a “Justiça foi feita”. “Lula sai ganhando porque mesmo que seja por unanimidade, ainda cabe recurso e a Lei da Ficha Limpa permite isso. Confesso que gostaria de ver Lula ser derrotado nas urnas e, assim, banido do cenário político”, destacou.

O coordenador dos movimentos Bolsonaro no Amazonas e Patriota, Renner Rodrigues, disse que o resultado do julgamento foi positivo para a política e à sociedade brasileira. “É um exemplo para a sociedade, que nenhum político está acima da lei. Se cometeu crime, a pessoa irá pagar. Serve para moralizar. Para nós, que pagamos altos impostos, ninguém aguenta mais isso”.

Publicidade
Publicidade