Terça-feira, 25 de Junho de 2019
Manaus

Condomínios de luxo são flagrados com 'gato' de energia em Manaus

Quatro condomínios, com 109 residências, causaram prejuízo de R$ 210 mil com os populares ‘gatos’ na rede de energia elétrica



1.jpg Condomínio Forrest Hil, onde uma casa não custa menos que R$ 800 mil, tinha 26 residências com gatos de energia
19/09/2013 às 07:22

Somente de janeiro da setembro deste ano, quatro condomínios de luxo em Manaus foram flagrados furtando energia elétrica, prática popularmente conhecida como “gato”. Ao todo, 109 residências cujos donos têm alto poder aquisitivo foram identificadas pela concessionária Eletrobras Amazonas Energia com irregularidades na rede elétrica.

Destas, 108 eram ligações clandestinas e apenas uma tinha desvio de energia. Também foi registrada a existência de uma subestação clandestina em um dos condomínios que servia para fornecer energia para uma segunda torre de apartamentos.

Os quatro condomínios causaram um prejuízo de R$ 210.329 mil, ou 519.390 kw/h não faturados pela empresa. Valor considerado alto, uma vez que, a energia furtada seria suficiente para atender 1730 casas (unidades consumidoras), com um consumo mensal de 300 kw/h, durante um mês.

Os “gatos” na rede elétrica são sempre associados à área periférica onde existem moradores com menor poder aquisitivo. Porém, os furtos de energia são encontrados, em casas de todas as classes sociais e áreas da cidade. As inspeções da empresa revelam que os furos ocorrem desde pequenos a grandes comércios, de casas simples a casarões de luxo, tudo para tentar driblar o medidor que registra o consumo e não pagar pela energia.

Muitos dos casos de “gatos” identificados pela concessionária são frutos de denúncias anônimas. No entanto, apesar dos casos comprovados, há uma quantidade indefinida de residência com esse tipo irregularidade que ainda não foi vistoriada porque em muitos casos é difícil saber que existem sem uma denúncia. Para se ter ideia, nos cinco primeiros meses desde ano, os furtos e roubos de energia elétrica em Manaus aumentaram 61,8%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Há uma semana, 26 casas do condomínio de classe média alta Forest Hill, localizado na avenida Torquato Tapajós, Zona Norte, foram flagradas com ligações clandestinas de energia. Todos tiveram o fornecimento de energia interrompido pela concessionária e os proprietários foram multados.

A vistoria passou por 36 residências do condomínio e apenas 10 estavam regulares. O flagrante foi feito com técnicos da empresa na ação comandada pelo titular do 18º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegado Ivo Martins.

No último mês, um condomínio residencial de luxo, localizado na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro de Adrianópolis, Zona Centro-Sul, também foi flagrado furtando energia. A ligação clandestina abastecia duas torres de apartamentos.

Outro caso que chamou atenção foi constatado em junho deste ano no condomínio de classe média alta Tapajós, localizado na avenida que leva o mesmo nome, na Zona Norte. Ao todo, 44 casas que furtavam energia foram responsáveis por um prejuízo de 281.592 kWh, o equivalente a R$ 108 mil, volume de energia suficiente para atender 939 casas com o consumo de 300 kWh, durante um mês.

Ambas as fraudes foram identificado com a Polícia Civil, na “Operação Tapajós”, deflagrada em conjunto com peritos do Instituto de Criminalística (Incrim) além da equipe técnica da concessionária.

Crime perigoso

Além de se tratar de crime previsto no Código Penal Brasileiro, conforme a Eletrobras Amazonas Energia, o furto de energia elétrica prejudica a qualidade do serviço prestado e pode ocasionar curtos-circuitos levando até à ocorrências de acidentes fatais na tentativa de desviar a energia.

Disseminação
Embora o número de “gatos” tenha aumentado em relação ao ano passado, não há um mapeamento que aponte os bairros e zonas da cidade em que o problema mais acontece. Conforme a empresa, a situação está disseminada por todo o Estado, principalmente, em Manaus.

Prejuízo de R$ 400 milhões

O ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) revela que o Amazonas é o Estado campeão em número de perdas comerciais, no País, por conta dos “gatos” de energia. O prejuízo é de aproximadamente R$ 400 milhões para a concessionária, por ano.

Se existem “gatos” na rede elétrica tanto em condomínios de luxo quanto em casas em bairros periféricos, a dificuldade para identificá-los e eliminá-los também se repete, mas com pequenas diferenças. Em condomínios de luxo, a dificuldade da concessionária surge quando os técnicos esbarram na resistência de moradores que impedem o acesso aos imóveis. Alguns fecham as portas e pedem para que vizinhos, zeladores, entre outras pessoas, digam que não estão em casas. Em residências de bairros de baixa renda, são os próprios moradores que se colocam na frente dos técnicos para impedir o corte ou fiscalização. Em determinadas situações, os consumidores chegam a agredir verbal e fisicamente os funcionários em serviço.

O último que chamou atenção ocorreu no mês passado no residencial Viver Melhor, na Zona Norte. Os moradores que mantinham uma feira improvisada com ligações clandestinas em 163 barracas, tentaram impedir o corte com pedaços de madeira e ferros nas mãos ameaçando os funcionários. Foi necessário que a Polícia Militar interviesse para resguardar a integridade física dos técnicos da empresa.

Irregularidades são 34,7 mil neste ano
Em 2013 foram identificadas 34.702 irregularidades, tais como, roubos e furtos de energia, além de 2.812 unidades clandestinas (gatos) pela Eletrobras Amazonas Energia até maio. Todas as unidades e situações irregulares foram regularizadas após a identificação.

Há 19 dias, a Eletrobras Amazonas Energia identificou 237 irregularidades de energia elétrica em três dias de operação no Centro de Manaus. Eles tinham desde desvios de energia, a fraudes em medidor, além de suspeita de fraude e auto autorreligações sem permissão.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.