Publicidade
Manaus
ACIDENTE DE TRÂNSITO

Condutor de BMW que matou sargento da PM nega que tenha 26 pontos em CNH

Clóvis de Oliveira Maia Filho disse que estava com uma habilitação antiga e a atual dentro do veículo no dia do acidente e que os 26 pontos referem-se ao "acumulado" desde 2009. Ele acredita que isso tenha gerado confusão 22/02/2018 às 19:32 - Atualizado em 22/02/2018 às 20:00
Show cnh
CNH vencida de Clóvis de Oliveira Maia Filho encontrada no dia do crime. Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

O empresário Clóvis de Oliveira Maia Filho, motorista da BMW, acusado de atropelar e matar o sargento da PM Sérgio Ramos, disse nesta quinta-feira (22) que nunca somou 26 pontos (decorrentes de infrações) em doze meses na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), como divulgado em reportagem publicada no último dia 9 pelo Portal A Crítica.

A matéria foi feita com base em informações repassadas pela Polícia Militar que, posteriormente, foram corrigidas pela instituição. Segundo Clóvis Filho, os 26 pontos só seriam alcançados se fossem contados os pontos (multas) desde 2009, procedimento que não é adotado pelos órgãos de trânsito.

Um dia após a publicação, o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) informou que o condutor poderia estar portando o documento antigo no momento do acidente, mas que sua CNH já havia sido renovada  e entregue, e que na mesma constava apenas cinco pontos ativos. 

Em nota enviada pelo advogado do empresário, ele reconhece que a CNH encontrada no veículo estava vencida, mas diz que portava também a carteira atual (válida). “Meu cliente deixou a nova cédula no porta-luvas e a antiga em lugar mais visível, por isso, a que pegaram, foi a que já estava sem validade”, justificou Fábio Sanches.

Abaixo, na íntegra, a nota enviada pela representação jurídica do acusado:

“Clóvis de Oliveira Maia Filho, brasileiro, casado, empresário, por seus

advogados que esta subscrevem, vem por meio desta, nos termos da Lei nº.

13.188, de 11 de novembro de 2015, exercer seu direito de resposta com relação à notícia intitulada ‘Suspeito de conduzir BMW que matou sargento da PM possui 26 pontos na CNH’, na forma a seguir aduzida: Em primeiro lugar deve ser destacado que, ao contrário do que foi noticiado, o Sr. Clóvis está devidamente habilitado para conduzir seu veículo, haja vista ter renovado sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em 2017, a qual é válida até 2022. A CNH encontrada no interior de seu veículo realmente tinha validade até 9 de agosto de 2017 porém, como já dito, o Sr. Clóvis adotou, em tempo hábil, todas as medidas necessárias para preceder a renovação de sua CNH. Ademais, vale destacar que, conforme já esclarecido pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), o Sr. Clóvis nunca somou 20 pontos na sua CNH no período de 12 meses, sendo os 26 pontos divulgados pela imprensa contados desde 2009. O Sr. Clóvis já se apresentou à Autoridade Policial e continua à disposição das autoridades competentes para prestar todos os esclarecimentos que se fizerem necessários. Por fim o Sr. Clóvis destaca ‘que as famílias envolvidas neste lastimável episódio merecem o respeito de todos neste momento de consternação’”.

Publicidade
Publicidade